Saindo

Esvaziando as gavetas e desocupando os gabinetes do Governo do Estado e da Prefeitura de Macapá para disputar as eleições proporcionais deste ano:
No governo: Eliete Borges (Politec), Luzia Grunho (Super Fácil), Cel Calandrini (PM), Cel Valcir (Iapen), Anésia Nunes, entre outros.
Na Prefeitura: Eraldo Trindade (Meio Ambiente), Ubiranildo Macedo (Guarda Municipal), Conceição Medeiros (Educação), Davi Alcolumbre (Obras) e Vicente Cruz (Procuradoria).

  • Amigo INDIGNADO, mas uma prova que esta turma que ficou no poder estes anos todos são os famosos iguais que se atraem, ou seja, são da mesma laia. Você sabia que no município a situação foi a mesma. O Vicente Cruz, Procurador Geral, implorou o ano de 2009 e mais os três meses de 2010 para que o Prefeito não assinasse o Plano de Cargos e Carreira do ADVOGADOS Municipais. Foi uma perseguição ferrenha. A única justificativa plausível é que foi por pura inveja, já que o mesmo não é concursado,vive de cargo político e se tornou o inimigo públco número 1 dos advogados municipais. Tem pessoas que pensam que o tempo não passa e que não irão pagar por tanta maldade. Taí a vida dando surra de derrotas nele. Perdeu no carnaval, perdeu no Futebol e vai perder na camanha política. Quem planta colhe. Nunca vi ninguém plantar joio e colher trigo. Planta o mal e colhe o mal, e, com um agravante, o tributo é muito alto.

  • Cena ridícula: a senhora Luzia Grunho,(ex-Super Fácil) aparentada do então governador Waldez, dando pulinhos de alegria e ooooohhh!!, surpresa p/anuncio da candidatura do dito cujo ao senado. Valha-me quem meu Deus!!!

  • Todos estão querendo uma tal de Imunidade Parlamentar(todos sabem porque).Vão todos pegar porrada.

  • A diretora da Politec sai da instituição deixando um grande sentimento de revolta entre seus colegas peritos. Não deixou passar o plano de cargos de salários da categoria e perseguiu esses colegas até o último dia de sua gestão. Vai em paz!!!!!!!!!!!

  • Tudo bem que a turma do governo já tem um trabalho consolidado e é natural que vários nomes apareçam, até porque é fim de mandato do desatrado governo 12.

    Mas os caras do governo municipal mal assumiram e já se acham qualificados para galgar a um mandado eletivo? É por isso que as coisas não funcionam e a máquina pública sofre “solução de continuidade”. Assim, as políticas públicas não se consolidam e o gestor se vê engessado, pois terá de dar posse a um agente público que, em tese, começara tudo de novo, pois outras cabeças sugerem, outras idéias.

    Quem sofre com isso é a já sofrida e abandonada população, que precisa dos benefícios e do atendimento das políticas públicas do município. Esses caras deveriam assinar um termo de compromisso e responsabilidade de permanecer pelo menos 2 anos à frente de suas pastas, pois as mudanças sempre carecem de um tempo de transição, que muitas das vezes, são nocivas ao povo do município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *