Tchau tchau!

Cassado pelo TSE por captação ilícita de sufrágio, Jorge Souza reuniu os amigos, correligionários e colabores na última sexta-feira para comunicar-lhes que agora não tem mais jeito, foi mesmo sacado do cargo de deputado estadual.
Ainda na sexta-feira desocupou o gabinete repassando-o para Camilo Capiberibe (PSB). Foi uma gentileza dele ao colega, uma vez que quando Janete, mãe de Camilo, foi deputada estadual era aquele gabinete que ela ocupava.
Na sessão de hoje, Jorge Souza faz discurso de despedida.
Oficialmente, Leury Farias – que assume a vaga – ainda não foi chamado pela Assembléia Legislativa para ser empossado.
Ele disse que vai esperar até 14h. Se não for empossado hoje vai entrar com uma ação contra a presidência da Assembléia Legislativa na Procuradoria da República.

  • Não estou aqui para defender nem condenar Jorge Souza.
    Se ele errou, que pague pelo seu erro.
    Mas, se a Justiça Eleitoral do Amapá tivesse de julgar e sentenciar todos que compraram votos; o Parlamento Estadual esvaziaria.
    Desejo nesse momento evocar o espírito de Jefferson Péres.
    Para quem não conhece, foi Senador da República pelo PDT-AM, e veio a falecer ao alvorecer do dia 23 de maio de 2008, em sua gleba natal – vítima de um infarto.
    Partindo da premissa de que, na teoria, a maior força de um país é o parlamento – embora, na prática, é fruto da cultura-, o Senador da República Jefferson Péres logrou imprimir seu estilo de pensamento, de caráter e de conduta distintamente de quem, sozinho, foi à linha divisória contra o determinismo ao culto da corrupção no poder público brasileiro; e simultaneamente, cristalizou como objetivo primordial de sua atividade parlamentar, a interpretação do pensamento e do caráter do povo que o elegeu para o Senado Federal, em Brasília-DF.
    Em toda a sua vida pública, ele sempre procurou ensinar.
    Mas, o que ele procurou ensinar?
    Procurou ensinar com à doutrina e o exemplo; Mais, ainda mais com o exemplo do que à doutrina;
    O culto e à prática da legalidade;
    Às normas e o uso da resistência constitucional;
    O desprezo e o horror da opressão;
    O valor e a eficiência da justiça;
    O amor e o exercício da liberdade.

    Que maravilha seria, se nós aqui no Amapá, na “terra onde o Brasil começa”, tivessemos políticos dessa estirpe.

    Não sigo nenhum dogma, sou apenas um anarquista…
    Saudações a todos.

    • Respondendo a sua pergunta querido com certeza ele estava fazendo outros trabalhos e não pÔde estar presente porque ele não é um desocupado como certos por ai que se incomodam por onde anda os outros ele é um trabalhador querido e quem trabalha dá duro nada é fácil e tem o que fazer como ele trabalha muito na A.L nem sempre ele pode estar presente para isso tem o restante dos deputados lá e tem quem responda por ele quando não está presente. gente desinformada não sabe o que fala como diz o ditado. Se não vai falar o que vale a pena ouvir, cale-se!

      • Jorge amanajás é um tumor canceroso que infelizmente é alimentado pelo VOTO BURRO do eleitor amapaense.

  • Já era hora de se fazer justiça, não tnho nada contra o Dep. Jorge Souza, só q política é assim, uns ganham e outros perdem, que ele siga seu caminho, ano que vem teremos eleições qm sabe não pode tentar uma vaga. Agora mtos terão que engolir o Leury, principalmente aqueles que apostavam na sua total derrocada, temos como exemplo a Vice-Prefeita, qr dizer prefeita, já que td agora é compartilhado.. Ela que mamou na teta, usou e abusou na CMM, qdo Leury era Presidente de lá e ela era vice. Passou a perna nele e ainda o perseguiu, atrasando seus salários, etc…
    Como dizia aquele velho ditado, “O MUNDO DÁ MUITAS VOLTAS!”, parabéns Leury vc merece, qr dizer, V. Exa. merece, bom trabalho na AL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *