A doença da urina preta

A doença da “urina preta” tem preocupado principalmente os estados do norte, onde o consumo de peixe é maior.
No Amapá informações extra-oficiais dão conta que já há casos suspeitos. Estes casos estão sob investigação.
No Pará até semana passada 17 casos estavam sendo investigados.
O Amazonas já registrou mais de 60 casos e um óbito.

A doença de Haff,  conhecida como “doença da urina preta”, está associada ao consumo de peixes e crustáceos, contaminados por uma toxina capaz de necrosar os músculos.

Um informativo técnico publicado no portal da defesa agropecuária de São Paulo diz que ao ingerir o pescado mesmo cozido, se estiver presente, a toxina provoca a destruição das fibras musculares esqueléticas e libera elementos de dentro dessas fibras no sangue, ocasionando danos no sistema muscular e em órgãos como os rins, podendo em casos graves ocasionar falência renal e cardíaca e levar a óbito.

Sintomas
Mialgia, hipersensibilidade, fraqueza, rigidez e contratura muscular, podendo estar acompanhada de mal-estar, náusea, vômito, febre, palpitação, redução da urina e alteração da coloração da urina (castanho-avermelhada).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.