Audiências Públicas para discutir EIA-RIMA do aproveitamento hidrelétrico Caldeirão

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e o Instituto do Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Estado do Amapá (Imap) irão realizar audiências públicas, para apresentação dos estudos ambientais do Aproveitamento Hidrelétrico Cachoeira Caldeirão.

As audiências acontecemem Porto Grande, Ferreira Gomes e Macapá, nos dias 20, 21 e 25 de outubro, respectivamente, quando será apresentado o empreendimento pelas empresas Eletronorte, Odebrecht e Neoenergia, e o Estudo de Impacto Ambiental – EIA e Relatório de Impacto Ambiental – RIMA, produzidos pela empresa amapaense Ecotumucumaque.

O Aproveitamento Hidrelétrico Cachoeira Caldeirão é o projeto de construção de uma usina hidrelétrica no Rio Araguari, entre os municípios de Porto Grande e Ferreira Gomes, com a barragem no local denominado cachoeira caldeirão, logo acima da Hidrelétrica Coaracy Nunes.

Além do secretário de Estado do Meio Ambiente, Grayton Tavares Toledo e do diretor-presidente do Imap, Maurício Oliveira da Silva, são esperadas autoridades como os prefeitos José Maria Bessa, de Porto Grande, Valdo Isackson, de Ferreira Gomes, vereadores, Ministério Público Estadual, Conselho Estadual do Meio Ambiente – Coema e representantes da sociedade civil dos municípios.

Calendário
1ª Audiência Pública – Porto Grande
Data: 20 de outubro de 2011
Horário: 09 h
Local: Centro Comunitário de Porto Grande (Av. Mário Cruz, 620 – Centro)

2ª Audiência Pública – Ferreira Gomes
Data: 21 de outubro de 2011
Horário: 09 h
Local: Quadra da Escola Estadual Maria Iraci Tavares

3ª Audiência Pública – Macapá
Data: 25 de outubro de 2011
Horário: 09 h
Local: Auditório da UEAP (Av. Presidente Vargas, 650 – Centro)

(Assessoria de Imprensa Elo Comunicação e Eventos)


  • essas empresas so sabem humilhar a população desses municipios… o estado tinha que ser duro neste aspecto. essas empresas tinham que deixar os municipios empecaveis da estrutura para os trabalhadores tarem do lado de seus filhos e esposa. pagar um salario digno e de acordo com a dificuldade do trabalho, ja que esse tipo de trabalho priva o trabalhador de tudo… o que adianta as empresas darem um plano de saude bom e a pessoas não ter onde ir… e quando vai leva falta e disconta um absurdo… infelizmente essas empresas ainda continuão pensando so em lucros absurdos. fica a dica e preferivel ter uma mão de obra cara e com qualidade do que um monte de gente desmotivada… um funcionario motivado com sua familia do lado com salario digno e melhor que 10 desmotivados!!

  • O aumento da demanda por energia alternativa demonstra o aumento populacional. Não seria melhor criar projetos de controle de natalidade em vez que afetar a natureza em prol do bem-estar humano?
    Semana passada discuti este assunto com um colega evangélico. Ele alegou que, comparada à da Índia, a população do Brasil ainda é pequena. “Ainda tem muita área pra ocupar”, argumentou. Este é um comportamento extremamente egoísta, uma vez que as áreas já estão ocupadas por árvores, animais, rios e peixes.
    Como pode uma pessoa que diz crer num criador não se importar com a manutenção daquilo que foi criado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *