CAPS fez mais de 6 mil atendimentos em um ano

Dependentes químicos contam com o auxílio do Centro de Atenção Psicossocial do Estado
Alieneu Pinheiro

O problema das drogas não está relacionado, somente, aos grandes centros urbanos. No Amapá, famílias inteiras são destruídas quando um de seus membros se joga neste mundo, que, muitas vezes, não tem volta. Para aqueles que querem se libertar desse mal podem buscar ajuda no Centro de Atenção Psicossocial do Estado (CAPS).

O centro destina-se a atender pacientes intensivo, semi-intensivo e não intensivo, onde estes participam de atividades lúdicas, oficinas terapêuticas e ocupacionais. “Possuímos uma equipe técnica capacitada a atender estes pacientes. A metodologia utilizada por nós segue todo um parâmetro nacional, indicado pelo Ministério da Saúde, que se destina a várias atividades”, explica a coordenadora estadual de Saúde Mental, Michele Maleamá.

Por falta de investimento, esse tipo de serviço teve de ser suspenso, voltando a funcionar somente em julho de 2011, quando, o governador Camilo Capiberibe determinou ao secretário de Estado da Saúde que reativasse os serviços de tratamentos aos dependentes químicos.

Em um ano de criação, o CAPS-AD realizou 6.391 atendimentos entre 2011 e 2012. Os serviços vão desde o acolhimento a terapias de grupos com os pacientes.

Conforme os dados levantados, o álcool aparece em primeiro lugar, com 221 pacientes dependentes, seguido das multidrogas (164 pacientes), tabaco (163 pacientes), maconha (143 pacientes), crack (140 pacientes), “merla” (138 pacientes), cocaína (72 pacientes), LSD (20 pacientes), óxi (26 pacientes) e outras (42 pacientes).

A coordenadora do centro, Lorilei Stefanello Seccon, diz que o CAPS é um lugar para tratar os pacientes químicos e, por ser assim, não tem o poder de tirá-los das ruas e levá-los a força para o tratamento. “Cabe à família ou ao próprio dependente procurar ajuda do centro. Não podemos levá-los por nossa conta. Afinal, é contra a Constituição Federal”, explica.

Os profissionais do Centro de Atenção Psicossocial atuam com vários segmentos terapêuticos, como atendimento individual, atendimento em grupos, oficinas, visita domiciliar, estudo de caso, reunião de equipe, entre outros tratamentos.

Além disso, os pacientes têm total assistência de profissionais gabaritados e recebem atendimentos médicos, psicoterápicos, de enfermagem, socioassistencial, medicamentoso, massoterapia, terapia ocupacional e acompanhamento do terapeuta de referência.

O CAPS-AD fica localizado na Av. Cora de Carvalho, nº 1731, bairro Santa Rita. O horário de atendimento é das 8h às 18h, sem pausa para o almoço. Contato: (96) 3223-6533.

(Alieneu Pinheiro/Sesa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *