Carta aberta dos trabalhadores da Justiça

SINDICATO DOS SERVENTUÁRIOS DA JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ

Fundado em 15 de agosto de 1992 – Filiado a FENAJUD

CNPJ 84.409.051/0001-61

CARTA Aberta dos TRABALHADORES da Justiça do Estado do Amapá

 

O SINJAP, entidade sindical representativa dos trabalhadores da justiça do estado do Amapá, sempre se manteve à disposição para negociar soluções aos problemas vivenciados pela categoria sem abdicar da luta, quando necessário, uma vez que o judiciário amapaense presta serviço público da melhor qualidade à sociedade.

A Constituição Federal em seu artigo 37, inciso X, impõe ao Poder Executivo que realize, anualmente, a revisão geral da remuneração de todos os servidores públicos, sem distinção de índice, sendo público e notório que o governo do Amapá fez aprovar na Assembléia Legislativa Projeto de Lei fixando o índice de 8% (oito por cento). No entanto, devido a “forças ocultas” deixou de repassar o referido percentual ao Poder Judiciário.

Devido a falta de negociação com o Chefe do Executivo, os trabalhadores do judiciário foram levados a decretar greve, interrompendo os serviços de atendimento a população por tempo indeterminado. Em outro front, o sindicato tem discutido livremente com o presidente do tribunal de justiça bandeiras histórico, tais como: Plano de Cargos e Salários, promoção, gratificação de nível superior, remoção dos servidores do interior, etc.

Assim, o governo estadual distorce de forma autoritária a realidade configurada na Constituição Federal (revisão geral da remuneração), restringido qualquer tipo de discussão com os legítimos representantes dos trabalhadores do judiciário  – SOMOS PELO CUMPRIMENTO IMEDIATO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

Nas eleições municipais de 07 de outubro devemos cumprir democraticamente a nossa vontade soberana, manifestando nossa oposição aqueles candidatos que impõe aos trabalhadores: a política do arrocho salarial; inexistência de negociação; corte ponto e desconto dos salários; promovendo repressão aos movimentos sociais. Tais práticas foram amplamente utilizadas pela ditadura e implementadas na América Latina.

Por essas razões, os signatários desta carta aberta entendem que na atual conjuntura não devemos expressar qualquer apoio a candidatura ao cargo de prefeito da capital, quando o partido político usar de práticas autoritárias e repressivas contra a classe trabalhadora.

LUTAMOS PELOS NOSSOS DIREITOS, SOMOS TRABALHADORES                            

TRABALHADORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ 

  • Estou com duvidas a respeito do reajuste aos serventuários da justiça, o Estado não repassa parte do bolo e aí não estão inclusos os salários e porque o Estado ainda tem que repassar os 8% pra categoria?

  • “Por essas razões, os signatários desta carta aberta entendem que na atual conjuntura não devemos expressar qualquer apoio a candidatura ao cargo de prefeito da capital, quando o partido político usar de práticas autoritárias e repressivas contra a classe trabalhadora”

    E quanto ao candidato do partido que criou a “HARMONIA”? Este vocês Apoiam?

  • Já está na hora dos servidores deste Estado fazerem uma manifestação conjunta entre CEA, CAESA, SERVIDORES DA JUSTIÇA, DA SAUDE, DA SEED e qm mais querer manifestar sua indignação pelos maus tratos e perda de seus direitos. Esta na hora de um DIA INTEIRO DE PARALIZACOES, um dia do CHEGA DE AVACALHAÇÃO COM O SERVIDOR ESTADUAL, somos profissionais e merecemos respeito. E vamos a luta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *