Centenário de Janary Nunes será celebrado em grande estilo

Um grupo de trabalho foi formado nesta sexta (16) para planejar as comemorações pelo Centenário do ex-governador Janary Gentil Nunes. O homem que instalou o Território Federal do Amapá será lembrado através de ampla programação e pela construção de um memorial, para onde serão transferidos seus restos mortais, atualmente sepultados no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.

A grandiosidade do símbolo Janary e do projeto Centenário, pensado pelo mandato do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), tem agora o endosso e “total apoio” do governo do estado, segundo afirmou nesta sexta-feira (16) o governador Camilo Capiberibe. Ele indicou a diretora-presidente da Agência de Desenvolvimento do Amapá – ADAP, Ivana Antunes, para compor o grupo de trabalho.

O grupo também terá o economista Charles Chelala, representantes do Colegiado de História da Unifap e o filho de Janary, Guairacá Nunes. O projeto contempla lançamento de livros, concurso de monografias, selo postal comemorativo, exposição fotográfica itinerante e almeja lançar a pedra fundamental para construção do memorial. Além do governo do estado, a Petrobrás será parceira.

Verônica Luna, historiadora da Unifap, sugeriu durante o encontro, realizado no Palácio do Setentrião, a criação de um Arquivo Púbico. Segundo o governador, há recursos de emenda paramentar do senador José Sarney, da ordem de R$ 10 milhões, que poderão ser em parte utilizados para esse fim. O senador Randolfe intermediará diálogo com o autor da emenda para incluir em seu objeto o Arquivo.

Para o historiador e arqueólogo Edinaldo Pinheiro, o momento do centenário deve ser aproveitado para levantamento e proteção do que resta do patrimônio material do período Janary. Camilo e o senador João Alberto Capiberibe estudaram na escola Barão do Rio Branco, Randolfe estudou na escola Santina Rioli, ambas construídas durante o governo de Janary Nunes.

Emocionado, Guairacá Nunes chorou durante o encontro ao ver seus esforços de resgate da memória do pai se tornando realidade. “Fico muito feliz de ver dois jovens políticos, o governador Camilo e o senador Randolfe, assumindo o compromisso com a história de Janary, que é parte relevante da própria história do Amapá”, disse. Na próxima semana o grupo se reunirá para definir a agenda das comemorações.

(Márcia Corrêa, da assessoria do senador Randolfe)
  • Estou muito otimista com o reconhecimento do período janarista porque acreditamos que também será o reconhecimento de todo um momento e de muitos sujeitos históricos que fizeram parte desse período. Precisamos lembrar q a mesma força que possui o getulismo para o Brasil possui o janarismo para o Amapá.

  • p/ Historiador
    Contribuiu muito mesmo ! Tirou os negros do centro da Cidade e mandou quase todos para a periferia.
    Até hoje o Amapá é uma mãe para os forasteiros Pq quem era daqui, foram os primeiros a serem “bem tratados” pelo militar FOFO Amigo do FOFO do GV.

  • É importantissimo esse resgate de parte da história do Amapá. Janary Nunes contribuiu muito para o desenvolvimento do Amapá e merece uma comemoração digna de sua importância no processo histórico de implantação do território recém criado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *