Chá das cinco

A cara do Amapá
Beth Zhalouth

O que trazes n’alma, Amapá,
além de tua rara beleza?
O que se vê do visor
do baluarte da Fortaleza?
O Amapá é o funcionário público
ou o desocupado funcional?
É o que consulta em clínica do Sul
ou o que pena no Hospital Geral?
É o corrupto de terno e gravata
ou o que leva gravata do policial?
É o que coleciona jaguar turbinado
ou o que se espreme num ônibus lotado?
É o que embucha na farinha
ou quem seca na lipoaspiração?
São os “escolhidos” no ar condicionado
ou os excluídos na insolação?
É o que dança em Dubai
ou o que dança nessa contradição?
É o “bom” que tem que continuar?
Ou virá um novo revolucionar?
Amapá para todos
que construiremos, nós mesmos?
Ou Amapá para poucos, assim,
a esmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *