Chá das cinco

CIDADE GRANDE
Alcy Araújo Cavalcante

Sei
: o anjo lírico
que guarda minha ternura
ouve o silêncio
que nasce na rosa.
Sei mais
: o poeta louco
das ruas do meu mundo
fala a gramática do jardim.
Mais ainda
: o meu doido lúcido
inchado de onírica lucidez
tem orquídeas nos seus galhos.
E também
: a namorada morena
que aquece os meus lençóis
absorve a essência das flores.
Na cidade grande
distante dos meus longes
carente dos meus verdes
entro no mercado de concreto
e compro rosas.

  • Peixe Boi deveria (se é que não tem) uma rua ou biblioteca com o nome do brilhante poeta Alcy. E tu, Macapá, o que farás?

  • A cada vez que abro este blog, conheço uma jóia nova deste escritor inesquecível. Obrigada, Alcinéa.

Deixe uma resposta para Cleo Araújo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *