Curiaú

Nas casinhas singelas do quilombo do Curiaú, as guirlandas na porta, árvores de natal no pátio, bolas coloridas no pé de pião roxo já anunciam a chegada do Natal

  • FELIZ NATAL PARA AS PESSOAS DESSA CASA – AS QUE RESIDEM E AS QUE A VISITAREM.
    FELIZ NATAL PARA VOCÊ QUE ESTÁ LENDO ESSE COMENTÁRIO. O SEGREDO DA EXISTENCIA É MESMO O RENASCER TODOS OS DIAS.

  • Natal batendo à porta, novembro de antessala e as manhãs nubladas são o prenúncio do ‘apocalipse’anual. A imagem nos remete – pra quem viveu a época – ao antigo Território Federal do Amapá (TFA), quando a então (?) provinciana, pacata e romântica Macapá (bem mais ordeira inclusive) era todinha ela assim, simples, porém, singular e admiravelmente confortável, boa de se viver. Poucos carros, muitas bicicletas, andor incansável e labutar diário. A maioria das casas de madeira com venezianas, muitas delas cobertas de palha ou telhas de barro, famílias reunidas, lembranças que nos levam à inevitável nostalgia em tempos de crescente cosmopolitismo e redução de distâncias e barreiras alfandegárias. Natal globalizado, sumanos!

  • Simples porém muito bonito, inclusive a humildade sempre foi e é uma das principais caracterísiticas do Aniversariante do Dia 25 de Dezembro.

  • Que lindo, simples e próspero cm deve ser, minha rua a Profª Cora de carvalho e a sua Almirante eram assim qnd criança, ornamentadas c botas ,sinos td na porta e a molecada feliz pq chegou o Natal. Que Deus abençoe esses lares de pessoas simples e humildes. Aqui no centro não dá mais p ser assim, vão levar td. Esta foto me leva ao passado c um bom e gostoso saudosismo , a fantasia pura do natal q é diferente p as crianças. Gostei muito!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *