Hoje tem “suruba antropofágica”

Uma suruba antropofágica comemora os 120 anos do nascimento do poeta modernista Oswald de Andrade. Será hoje, quinta-feira,  às 19h no Campus II da UEAP (Procópio Rola, 1346).

Herbert Emanuel

A “Suruba Antropofágica” – uma idéia do poeta, filósofo e professor  Herbert Emanuel – é uma nova forma de discutir literatura, misturando palestra, espetáculo, instalação. “Temos ao mesmo tempo imagens, palavras, trechos de poemas e falas rápidas sobre o próprio Oswald”, diz Herbert.

Sem preocupação com o academicismo e a formalidade, é mesmo uma espécie de orgia antropofágica. “É um ritual de devoração do outro – Oswald -, de nós mesmos”, explica o idealizador. Para ele, o manifesto antropofágico de  Oswald de Andrade  serve ainda hoje  como pensamento poético-filosófico capaz de desencadear reflexões, questionamentos sobre a cultura brasileira e sobre a  multiplicidade e singularidade culturais. Ele ressalta que o Manifesto propõe uma outra lógica, não-cartesiana, tipo: “o outro existe, logo pensa”, em oposição ao velho e batido “penso,logo existo”, de  Descartes. “Se é possível falar num pensamento filosófico brasileiro, sua matriz tem de ser necessariamente oswaldiana.

O evento está aberto a todo e qualquer público que curta poesia, literatura, filosofia, arte. A entrada é franca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *