Lembras da Vacaria?

Onde era a Vacaria hoje é o bairro do Santa Inês. Era lá que o Sr. Barbosa criava gado.
A molecada, principalmente do bairro do Trem, gostava de ir lá pra ver bem de pertinho o gado.
Mais abaixo havia uma praia e muita gente se banhava ou pegava sol lá, principalmente aos sábados e domingos. Naquele tempo a Fazendinha era longe, não havia transporte para lá, então as praias mais frequentadas eram a do Araxá, Elesbão e Vacaria.
Lembras?

  • Claro que lembro perfeitamente, saudades de tempos muito bom, e que nao voltam mais, elesbao/vacaria, banhos de rio, inesqueciveis….

  • Favor retirar meu nome e e-mail do comentário, visto que está permanente no final das mensagens. Verifique. Agradeço. Carlos.

  • íamos pelo Elesbão, onde havia a Igreja de São João Bosco e o Padre Dante era quem cuidava da igrejinha arredondada, de maderia, até a vacaria, por cimas das toras de madeiras da Brumasa. Logo depois o Barcellos chegou e mudou a cara de tudo.

  • Bem aí, cercados de vários parceiros do Trem, no inicio dos anos setenta,tomávamos batida de maracujá tirando gosto com galinha assada, afanadas de nossos próprios quintais. Turma boa, Carlos e Jorge Malcher, Catitão, Sabá Paquera e Aluizio, Lúcio, nosso doutor, Mata, às vezes, Padreco, Caveirinha, Nilton, Geraldo, Durico, Bigú e Tio Carlos. É claro que tinham muitos mais parceiros, que agora não me recordo.

    • Zé maria, conta aquela história da galinha magra, que ao servir de tira gosto, um dos participante falou: “Tua mãe não dava milho pra bicha”.

  • Morávamos na Rua Odilardo Silva (hoje, atrás da delegacia) era só seguir reto até a ladeira do seu Barbosa, passar a bicicleta do meu pai por sobre a porteira. E tudo só era completo quando os primos íam. Manhãs de domingos maravilhosas. Praia que povoa minhas lembranças e meus sonhos até hoje.

  • Néa, era comum nos dias de domingo a thurma da rua de casa descer a rua da ladeira, tipo farofeiro, com feijoada, galinha assada, farofa, levando o menino, cachorro e o papagaio.Quantas lembranças!!

  • Quanta saudades! Eu morei bem proximo, estudava na escola Hildemar Maia. Um dia desci pra praia com algumas amigas pra brincar de macaca (amarelinha)Tirei o sapato que era novinho, a água encheu e o sapato vagabundo seguiu as águas… Adivinha o que aconteceu comigo???

  • Eu adorava brincar na casa do seu Barbosa,e a parte que eu mais gostava era de ficar olhando os animais,meu Deus que saudade.Sempre que ia por la era acompanhada da minha amiga de infância que hoje é a minha comadre Fransuazi a neta do seu Barbosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *