Morre o jornalista Bonfim Salgado

Faleceu agora há pouco, na UTI do Pronto Socorro, o jornalista Bonfim Salgado.
Bonfim passou mal durante a madrugada com uma crise renal. Por volta das 4h deu entrada no Pronto Socorro, mas teve três paradas cardíacas e não resistiu.

A morte do querido amigo e confrade Bonfim me deixou sem palavras. Por enquanto fico cá com meus botões lembrando de tantas coisas que curtimos juntos ao longo de décadas, como aquela vez, em 1968, numa passeata estudantil que Bonfim – que era um dos líderes –   me fez subir no muro do Grêmio Ruy Barbosa para discursar contra a ditadura. E eu era ainda uma pré-adolescente.

Vai em paz, amigo Bonfim. Qualquer hora, quando eu estiver refeita do susto da tua brusca partida, contarei tuas peripécias aqui no blog e o quanto foste importante para o Amapá, para o jornalismo e o quanto dezenas de jornalistas aprenderam contigo tão boas lições.

Adeus, meu querido “Marquês de Bonfá”. Aqui, nós jornalistas, consternados e tristes noticiamos teu falecimento. Mas lá no céu, teus velhos companheiros de imprensa, como o meu pai Alcy Araújo, estão noticiando o teu nascimento.

Fotos do Bonfim Salgado no Movimento Poesia na Boca da Noite
Leitor voraz, amante da literatura e da poesia, Bonfim Salgado participou algumas vezes do Movimento Poesia na Boca da Noite. Nas fotos abaixo, Bonfim em janeiro do ano passado no Movimento  Poesia na Boca da Noite na calçada da casa do escritor, poeta e jornalista César Bernardo – um dos seus melhores amigos.

Declamando uma poesia da coletânea “Poetas do Meio do Mundo”

Lendo poesia com Osvaldo Simões, Rostan Martins e Munhoz

Lendo o meu livro de poemas “Estrela Azul”

  • infelizmente não tive a honra de conhecer pessoalmente! mas sempre respeitei pelas belas defesas do seu pensamente…homem respeitado no seu meio..va com deus!! estas semanas tem sido difícis com a perda de ilustres amapaenses!!

  • Alcineia, gostaria de lhe parabenizar pois você traz a noticia de imediato para nosso conhecimento e foi através de seu blog é que tive a oportunidade de saber do brusco falecimento do Bonfim, o conhecia assim como sua esposa são amigos de longas datas, sua perda fará falta ao nosso estado porque era um cara que falava o que verdadeiramente acontece e não media esforços para criticar e elogiar quando era necessário, por trás de sua simplicidade existia um homem muito inteligente.
    Com certeza fará muito falta, descanse em paz.
    O que mais choca agente é a situação de nossa saúde aqui em nosso estado o Bonfim ficou encima de uma maca passando mal, esse é tratamento para um cristão? Em nosso hospital de emergência é triste você chegar lá ver a situação das pessoas que estão para ser atendidos e ainda encontramos servidores estupidos que não tem um pingo de humildade tratam mal as pessoas doentes. Digo porque já aconteceu com pessoas da minha familia.

  • O Amapá perde um de os seus mais ilustres jornalistas leal, franco, dígno, honrado e honesto. Bonfim Salgado foi um filho que Deus mandou ao mundo, para ver como os demais seus filhos estavam se comportando. Todos nós entendemos como as coias estão andando. O clamor de suas reivindicações todos sabiam, porém ninguém dava a atenção devida. Bonfim Salgado morreu! Saiu da matéria!Nós temos que nos contentarmos, ainda, com todas agruras e mazelas que assola o País e o Amapá também, que JOSÉ ANTONIO BONFIM SALGADO tanto contribuia em os seus grandiosos e sábios artigos.

    Bonfim Salagado já está nos fazendo falta e, somente quem teve convivência intelectual com ele, sabe com certeza de que era capaz. Falar de Bonfim Salgado é tudo de bom desde quando nasceu até o último dia de sua vida.

    Imaginemos todos pra caramba, a imensa receptividade de Bonfim Salgado no reino celestial, quando o João Lamarão, Leonai Garcia, José de Arimatéia e muitos outros queridos amigos que por lá já estão se depararem…Cuidemos de nós vivos em terra, porque esses nossos amigos já estão, com certeza, na boa!

  • Eu não lembro dele, também já estou morando fora de Macapá há 10 anos. A notícia da morte de alguém em Macapá sempre me abala. Gostei quando você escreveu o nascimento dele em outro lugar. Acho que também é isso.

  • Mais um grande homem nos deixa,O jornalista BonfIm Salgado, primo que vc continue sua tragetoria de vida escrevendo do céu. a toda a familia o nosso pesar.

  • Descanse em paz ,ainda tive a honra de conhecê-lo pessoalmente semana passada,um ser adorável e simples, um verdadeiro Macapaense.

  • CONHECIR O SAUDOSO BONFIM LA NA PONTE DO RIO PEDREIRA, TOMANDO UMA “ESPOMOZA”, LÁ ELE ME FALAVA DA IMPLANTAÇAO DO SISTEMA PARA UTILIZAÇÃO DE APARELHO CELULAR NAQUELA REGIÃO…PUTZZ,,,NAO VIU REALIZAR.
    QUEM DEUS TENHA SUA ALMA E CONFORME SUA FAMILIA, AMIGOS E FAMILIARES.

  • Oi, amiga. Juntamos aos demais nossos pêsames à família do Bonfim.
    Lembro até hoje das crônicas que o Bonfim escrevia na Rádio Educadora, na época do regime militar, quando estudávamos no Colégio Amapaense. Era sagrado aquele horário, salvo engano por volta de 13 horas. Crônicas inteligentes, escritas e lidas de uma forma tranqüila, mas tocando em algumas feridas, que se incomodavam.
    E o rebate vinha logo em seguida, em crônicas na Rádio Difusora de Macapá. Como não havia muito o que defender, partia-se, muitas vezes, até para a ofensa. Em alguns momentos, usando-se o que chamamos hoje de uma linguagem politicamente incorreta, maldosa, beirando até o racismo; coisa de desesperados, sem argumentos para rebater o pensamento do Bonfim.
    Cumpriu sua tarefa. Nossas preces por ele.

  • A nossa amizade iniciou na infância. O Bonfim Salgado era daquele tipo de pessoas que não muda nunca. O tempo todo era amigo leal, inteligente, bom conselheiro, preocupado com os destinos do Amapá. Sempre era um papo legal, até quando convesávamos amenidades. Lembro que certa feita eu o vi em uma singela mesa no Palácio do Governo, ao que parece no primeiro mandato Capiberiano. Depois, num papo no bar do Nena eu lhe falei que o achei muito esquisito atrás de uma mesa do poder público. Ele disse, eu também. Não me acostumo e não me sito bem com isso. isso. Pouco tempo depois, pediu exoneração do cargo.
    Amigo Bonfim, a dor da saudade é imensa, mas seu dever foi devidamente cumprido na terra. E eu, a mais ínfima das criaturas, não tenho coragem de discutir os desígnios de Deus, junto a quem deve estar neste momento. Obrigado por ter sido meu amigo

  • A morte é inevitável,mas não nos acostumamos a ela e é sempre muito triste a despedida de alguem que admiramos e respeitamos.Meus pêsamos aos familiares do querido Bonfim.

  • Um homem verdadeiramente descente. Tive a honra de conhecê-lo e com ele, por muitas vezes trocar algumas idéias. Simples e generoso, nos contagiava com sua inteligência, sobretudo, com sua humildade e coragem. Que Deus te receba de braços abertos. Você cumpriu muito bem a sua missão meu amigo.
    Meus sentimentos à família, parentes e amigos.

    MARCONI PIMENTA

  • Foi com muito pesar que recebi a notícia do falecimento de Bonfim Salgado. Aliás, uma terrível surpresa justamente porque ouvi de um programa de rádio hoje cedo o comentario de que ele estaria aguardando atendimento para tratar um crise renal no HE, mal acomodado e não num leito. Da forma como foi noticiado, não pude perceber a gravidade do quadro, achei que seria mais uma visita dele, Bonfim, ao hospital, cujo atendimento, vale frisar, havia sido elogiado por ele há pouco tempo. O evento morte, enfim, foi um choque. Perdemos um gentleman, um jornalista, amigo de muitos. Desejo aos seus colegas de profissão, amigos e familiares o conforto que só o Senhor Deus pode nos proporcionar nessas horas. Fraternalmente.

  • Despedida nem sempre é um adeus. Pode ser um “até logo”, mesmo que o logo ainda seja demorado. Descanse em paz Bonfim Salgado os bons vão embora cedo.

  • Não o conhecia pessoalmente, entretanto, o repeitava por suas opiniões! estja em paz e que Deus conforte sua família, neste momento de ausência!

  • Uma das melhores canetas que apareceu no jornalismo amapaense. Grande perda. A literatura jornalística no Meio do Mundo fica pobre. Lamentável!

  • Obrigado por seus ensinamentos: O Amapá perde um grande profissional. Vá em Paz Amigo.
    Abs. Matta.

  • Uma perda irreparável para o jornalismo amapaense. Peço a DEUS que o coloque no lugar que merece e que conforte a sua família. Realmente, é um dia muito triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *