O centenário de Janary Nunes

Randolfe inicia ações para celebrar o centenário de Janary
Márcia Corrêa

No dia 1 de junho deste ano, o primeiro governador do Território Federal do Amapá completaria 100 anos. Janary Gentil Nunes governou o Amapá por quase 12 anos, de janeiro de 1944 a fevereiro de 1956. Seu legado inconteste contempla desde a instalação da capital, Macapá, à estruturação física e política do Território. Contribuir com o resgate da memória deste, que é um dos personagens centrais da história do estado, é mais uma tarefa assumida pelo mandato do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) em 2012.

O projeto “Centenário de Janary Nunes” deverá incorporar outros atores como o governo do estado, universidades e demais poderes. O mandato do senador Randolfe deflagra as comemorações reeditando, com apoio do Senado Federal, “Confiança no Amapá: Impressões sobre o Território”, uma publicação da editora Cia. Brasileira de Artes e Letras, datada de 1962. Nesse livro Janary publica “A Mística do Amapá”, seu ideal de “tornar o Território uma das regiões mais ricas e felizes do Brasil”.

Através do Colegiado de História da Unifap deverá ser criado um grupo de pesquisas sobre o ex-governador. Os historiadores Paulo Cambraia, Sidney Lobato, Elias de Paula e Maura Leal estão empenhados no projeto Centenário. Documentos originais, ainda não pesquisados estão sendo disponibilizados pela família, através de um dos filhos, Guairacá Nunes. O grupo defende a criação de um Memorial para reunir, além do acervo documental e fotográfico, os restos mortais de Janary, cujo traslado será autorizado pela família.

Nascido em Alenquer-PA, no dia 1* de junho de 1912, Janary revelou sua liderança ainda como tenente do Exército Brasileiro. Quando oficial de plantão, determinava que a comida de todas as patentes fosse feita sem distinção. Atitudes como essa levantaram sobre ele a suspeita de simpatizar com o comunismo. Razão pela qual teria sido enviado para Clevelândia do Norte, em Oiapoque-AP, como punição, entre 1936 e 1937. Esse episódio foi narrado por ele próprio aos filhos como sendo seu primeiro contato com o Amapá.

Anos mais tarde o capitão Janary teria grande influência sobre a criação dos territórios federais. Em 21 de setembro de 1943 foi nomeado, pelo então presidente Getúlio Vargas, para o cargo de governador do recém-criado Território Federal do Amapá. Após deixar o governo, Janary foi nomeado para a presidência da Petrobrás e posteriormente embaixador do Brasil na Turquia. Faleceu em 15 de outubro de 1982, no Rio de Janeiro, aos 72 anos.

  • QUE TAL FAZER UMA HOMENAGEM A SRA. MARIA DA GAMA ALFAIA MAIS CONHECIDA COMO MAROQUITA RESIDENTE NO BAIRRIO DO TREM FEZ RELEVANTE SERVIÇO SOCIAL NO GOVERNO DE JANARY GENTIL NUNES QUE O GOVERNADOR JANARY FREQUENTAVA CONTANTEMENTE SUA RESIDENCIA NO BAIRRIO DO TREM.

  • Que tal fazer um busto do “Seu Vagalume”, o fundador da Escola de Samba MARACATU DA FAVELA e colocar na Cidade do Samba?

  • Há teses que afirmam a existencia, em Clevelandia do Norte, de um dos maiores centros de tortura do Governo Getulio. Há arquivos na Biblioteca Nacional que indicam o envio de Anarquista e moradores de rua do Rio de Janeiro para esse centro de concentração em plena floresta amazonica. De que ponto de vista será apresentada a história?

  • Se foi punido por acharem que ele era “comunista”, nunca teria assumido cargos importantes em um dos governos que mais perseguiu comunistas no Brasil. E se fosse justo não teria realizado distinção entre os antigos moradores do Centro da Cidade (pobres e negros) e os novos na reurbanização da cidade. Essa “estória” não bate!

  • PARABENS AO SEN. RANDOLFE PELA INICIATIVA…JANARY MERECE AO MENOS UM BUSTO NUMA DESSAS PRAÇAS AI NO AMAPÁ.
    MAIS OLHEM, SÓ PARA NAO ESQUECER, RANDOLFE É UM ETERNO APAIXONADO PELA BIOGRAFIA E ORATORIAS DO EX GOVERNADOR JANARY…HEHEHE…UM JANARISMO SEMPRE PRESENTE EM SEUS DISCURSOS E PALESTRAS…
    QUEM VIVER VERÁ !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *