Olha o tamanho do descaso

Centenas de dependentes químicos que buscam tratamento  estão sendo abandonados pelo governo. Vão ficar sem tratamento não se sabe até quando.

Ontem, ao meio-dia, o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial, que cuida dos dependentes de drogas) fechou as portas porque há três meses o governo do Estado não faz o repasse do dinheiro.

Criado há cerca de quatro anos, nos dois últimos anos o CAPS vinha sendo gerenciado pelo Instituto de Saúde Mental (Isame), do médico Rosano Barata.

Informações que chegaram ao blog dão conta que, de acordo com o contrato, o Isame deveria apenas gerenciar o Centro. Ao Governo caberia a contratação dos profissionais e aquisição de medicamentos, entre outras coisas.

O Governo não cumpriu sua parte. Colocou à disposição do Centro apenas um clínico geral, uma enfermeira e uma técnica em enfermagem. Para que os pacientes não ficassem sem tratamento, o Isame assumiu o pagamento de dois psicólogos, um psiquiatra, um assistente social, um terapeuta ocupacional e  três oficineiros. Também supria o Centro com remédios.

Há dois meses o contrato encerrou e até agora não foi renovado. Um mês antes do encerramento, a Secretaria de Saúde do Estado deixou de efetuar os repasses. Sem condições de continuar bancando o pagamento dos profissionais, o Isame decidiu paralisar as atividades e o Centro foi fechado ontem.

Só este ano, de janeiro a setembro o Centro recebeu 239 novos pacientes. São pessoas de ambos os sexos, de várias idades e classes sociais, querendo se livrar da dependência das drogas. Ali, estes dependentes têm acompanhamento psiquiátrico, psicológico e social. “Tem gente que chegou aqui com a família destruída e conseguiu reconstituí-la, gente que tinha perdido o emprego por causa do uso de drogas e com a abstinência voltou a se inserir no mercado de trabalho”, contou um funcionário.

Os pacientes do Centro não ficam internados (ficam em observação), fazem check-up mensalmente e a cada 25 dias são avaliados por um psiquiatra. Todos os dias eles participam de oficinas, como teatro, música, informática, fazem hodroginástica e outras atividades físicas.

As famílias também recebem acompanhamento. “O que vai ser destes pacientes e de suas famílias a partir de agora?“, pergunta um psicólogo. E conta que de cada 10 pacientes, sete são dependentes de crack.

No Amapá não existem clínicas para tratamento de dependentes de drogas. O CAPS era a única esperança de quem queria se livrar das drogas. O fechamento mostra a importância que o governo dá para esse tipo de problema e para a saúde mental.

O secretário estadual da Saúde, Pedro Paulo Dias, pré-candidato ao governo do Amapá, tem a obrigação de resolver imediatamente esse problema sob pena da gente acreditar que ele deu trela para fofoca de  uma amiguinha que não gosta do doutor Rozano Barata.

Uma conhecida minha, cujo nome não vou citar, me contou que sua família estava completamente desestruturada. Seu marido viciado em crack perdeu o emprego, a maior parte do salário dela era pagar traficantes, os filhos adolescentes estavam revoltados e tinham vergonha do pai. Um deles chegou a sair de casa. Ela conta que para manter o vício, ele vendeu televisão, aparelho de som e até o ventilador do quarto das crianças. Um dia a ficha caiu e ele resolveu pedir ajuda. Foram ao CAPS e ali encontraram o que procuravam. Hoje, a vida da família está voltando ao normal. O marido conseguiu emprego numa loja e está há seis meses sem usar a droga e o filho voltou pra casa. “O CAPS foi a nossa salvação. Tirou meu marido do crack e nos ensinou a lidar com ele. Não sei o que será de nós se ele tiver uma recaída. Não sei o que será de outros que dentro do CAPS se tornaram nossos amigos e que como meu marido já estavam se recuperando”, disse ela. E perguntou: “O que vamos fazer a partir de agora?”

A resposta quem tem obrigação de dar é o secretário de saúde Pedro Paulo Dias ou o governador Waldez Góes.

  • Boa tarde!
    De tudo que se tem ouvido,a suma é:Teme a Deus e guarda os seus mandamentos;porque isto é o dever de todo homem.
    Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras,até as que estão escondidas,quer sejam boas,quer sejam más.(ECLESIASTES13,14)

  • O Tráfico,vai depender de quem seja.Você lembra dos traficantes filho de papai membros da turma da harmonia,pois é eles foram soltos logo na semana seguinte e ninguém fala mais nada.Os consumidores estão no IAPEN.Pobre Amapá.

  • Os dois são viciados e usuários do dinheiro público,dai não ter com que se preocupar com os viciados e usuários de drogas.

  • REPLICA AO SOACABECINHA (SIC):
    QUEM NOMEOU O PEDRO PAULO SECRETÁRIO DE SAÚDE FOI O WALDEZ. SE O SECRETÁRIO NÃO CORRESPONDE AOS ANSEIOS, OU PARA ME FAZER ENTENDER, NÃO DÁ CONTA DO RECADO DEVE O GOVERNADOR EXONERÁ-LO. A CANETA QUE NOMEIA É A MESMA QUE EXONERA. DAI A CONCLUSAO DE QUE O GOVERNADOR É OMISSO E CONIVENTE.

  • Dizem nos corredores dos Hospitais de Macapá que o ex-Deputado Federal Benedito Dias leva material hospitar e medicamentos para a sua Clínica Particular. Isso o MP deveria investigar.

  • Infelizmente alguns profissionais de saude foram comprados pela tal “Caravana da Saúde”(receber quase R$ 1.000,00 por dia de “caravana”),se não fosse desse jeito uma paralização geral em torno da saúde da população amapaense,seria uma maneira de chamar atenção do País para o descaso com a saúde no Amapá.Ainda temos profissionais calados a troco de um contrato administrativo de parentes,gerencias,CDSs e vendas de materiais e medicamentos para a SESA.

  • A CAPS tinha outro nome e foi criada em 1998, no governo Capi. No começo do Governo Waldez o centro foi abandona e teve que fechar as portas, reabriu,depois de muita pressão, a troco de votos, próximo as eleições de 2006.

    • tudo q esse governo fez foi trocar de nomes e abandonar os bons projetos…não defendo o capi, mas não era apenas trabalho dele. Algumas secretarias tinham equipes que trabalhava e davam seu suor para acontecer as coisas, conheci pessoas que madrugavam para que os projetos pudessem ser realizados, sem ônus nenhum por incrivel que pareça isso aconteceu.

  • O Amapá está cada dia mais beirando o estágio do Maranhão sendo este considerado pelos dados da Fundação Getúlio Vargas – FGV como o segundo estado mais pobre da federação, onde podemos encontrar absurdos como politicos cassados colocarem seus motoristas para “disputar” eleições e estes continuarem como simles motoristas e o dito cujo se perpetua “administrando” a cidade. Situações de escolas sem merenda escolar que é o mínimo que esses calhordas poderiam comprar com o dinheiro do FUNDEF. aqui sim é a TREVA!. Não desejo isso para o amapá.
    Acessem o link do Atlas do Bolso dos Brasileiros.
    http://www.fgv.br/cps/atlas/
    ACORDA AMAPÁ – CHEGA DE SARNEY e agregrados…

  • É o começo do fim de um governo oligárquico,que esbanjou dinheiro público sem projetos. Submisso à José Sarney,Waldez Goes mergulhou o Estado no descaso e agora, tenta sair do “saco de gatos”, na esperança de se eleger senador da República.

  • O Governo mentiroso de Waldez Góes,disse após as eleições de 2006,que ia revolucionar a saúde.O descaso é tamanho que roubam equipamentos dos hospitais e ninguém diz nada.Com relação aos medicamentos, 3(três) secretário foram presos um indiciado e o último fazendo de conta.O descaso já foi matéria do Fantástico no dia 04.10.2009.

  • Para KATIA SOARES, o cara nao eh governador mas eh SECRETARIO, e tem poder de resolver isso, so nao resolve por q nao quer! nao to tirando o waldez da reta, acho ele incompetente tb, assim como nosso ministerio publico, mas o q podemos fazer se acho q eles tb sao da “harmonia”?!

  • Esse Pedro Paulo, não vai responder coisa alguma, pois até agora não respondeu sobre o sumiço dos aparelhos de raio-x (entre outros) que sumiram do Hospital Geral…alvara sobre essa situação. Isso pq ele nem é o governador e já tá toda essa esculhambação, imagina quando ele assumir…Meu Deeeeeeeuuuuuuussssss, que caos!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • AVISO AOS NAVEGANTES: O MÉDICO PEDRO PAULO AINDA NÃO ASSUMIU O GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ.
    O GOVERNADOR CHAMA-SE WALDEZ. A RESPONSABILIDADE PELO DESASTRE É DO GOVERNADOR.
    ORA SE UM SECRETÁRIO NÃO ESTA CUMPRINDO SEU DEVER O GOVERNADOR DEVE PEDIR O CARGO E NOMEAR OUTRO. NO CASO, NO MINIMO, O GOVERNADOR É OMISSO.

  • Não conheço o programa de assistencia ao dependente quimico dai,mas pelo que li aqui na matéria,com certeza irão cometer um CRIME ao fecharem essa porta.

  • Também tenho uns conhecidos q tinham acompanhamento lah no Centro (CAPS), infelizmente eh isso mesmo, mais um programa do desgóesverno q vai pelo ralo. E quem sofrem são as familias.Dr. Pedro Paulo pense bem antes de tomar uma decisão precipitada procure conhecer melhor o trabalho ali realizado. (QUNDO O ENCARDIDO NAUM VAI PESSOALMENTE DESTRUIR AS FAMILIAS ELE MANDA A SECRETÁRIA!!!)

  • O Governo sabe o que está fazendo.A bem pouco tempo era um dos muitos slogan desse desastroso governo.Sabe tanto o que está fazendo que faliu o Estado do Amapá.

  • Esse Ricardo de Souza Oliveira causou sérios prejuízos aos cofres do Estado do Amapá. Ele responde a uma Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Estado do Amapá, onde lhe é atribuído atos de improbidade administrativa quando exerceu o cargo de Procurador-Geral do Estado, pois, através de acordos vergonhosos, em diversas Ações de Execuções Por Título Extrajudicial, reduziu valores de dívidas e parcelou em grande número os créditos perseguidos pelo extinto BANAP, sub-rogados ao Estado do Amapá. O mais engraçado de tudo é que o Dr. Ricardo Oliveira ainda entrou com embargos à execução, isto já na condição de advogado dos executados. O prejuízo pode chegar a um valor superior a R$ 1.400.000,00. É capaz de ter praticado extorsão contra a Mineradora. É por conta disso que falta dinheiro para aplicar em programas sociais como o do CAPS.

  • Realmente um absurdo. O Amapá nao tem clinicas especializadas para doentes de dependencias quimicas. O crack que é devastador chegou com muita força ao Amapá e hpje jão saão centenas de viciados. O Caps tem uma estrutura enxuta e é inadimissível que seja fechado por falta de compromisso do governo, que nao tem nenhum politica para usuários de drogas e nem para a prevenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *