Retrato em branco-e-preto

Eles estavam realizando diligência no interior. Sabe quem são? Então diz aí na caixinha de comentários (Foto: arquivo do dr. Adelmo Caxias)

Essa casa, sem pátio e coberta de palha, me trouxe lembranças da minha infância. Na minha rua – aqui mesmo no antigo bairro da Favela – tinham várias casas assim. Aliás, em todas as ruas de Macapá tinham casas assim de madeira, cobertas de palha, pintadas com cal. Não lembro o nome que se dava para esse tipo de porta e janelas, mas lembro que eram fechadas com “tramelas”. Sabe o que é “tramela”?

  • GOSTARIA DE PEDIR A AJUDA DE QUEM PODESSE ME DA NOTICIAS DE ODILON PICANÇO FURTADO…ELE É UM AMIGO MUITO QUERIDO QUE PERDI O CONTATO JA FAZ ALGUM TEMPO,POR FAVOR QUEM SOUBER DO EMAIL OU TEL ENVIE PARA O MEU EMAIL…[email protected] ,agradeço desde já…

  • Estou muito feliz em ver a foto do meu querido pai Manoel Gentil, lembrando bons tempos do passado. Valeu!

  • Delegado Teobaldo e inspetor Antero , este ultimo muito amigo do meu pai e frequentador da Casa Duas Estrelas na Favela.
    A tramela sentido duplo, fechadura das casas de madeira, fechar a boca , ficar calado rss , moleque que falava muito então… )

  • O inspetor Antero e o delegado Teobaldo eram do primeiro time da Divisão de Segurança e Guarda. O senhor que está em segundo plano é o Gentil, guarda territorial e pai do Tadeu Pelaes.

  • Um abraço Veneide e Riba(Ribamar Pessoa) vocês acertaram esta fotografia esta o meu saudoso pai Antero Picanço Furtado e o Sr. Teobaldo Rodrigues, visinhos de muitos anos na Rua São José esquina da Mateus de Azevedo Coutinho.

    • Estou te lendo aqui, amigo!Sera que tiraram essa foto na época em que estudamos juntos no Barão? sddes daquele mingau de arroz feito com leite da Aliança p o Progresso, rsrs! Eu entrava na fila 2 vezes para repetir a canecada, rsrsrs. um gde abraço

        • Ah Pessoa, lembrei que esse não era o leite peidão; O leite peidão foi doação de um politico brasileiro, anos depois. Não lembro quem era. Esse eu não tomei. O leite da Aliança para o Progresso vinha dos EEUU. Lembras que nos anos 60 o Amapa era cheiro de americanos do Norte? Ih, acho que lembrei: o leite peidão foi no governo Sarney, lembras? Tinha distribuição de leite para as mães. Quem confirma? Sapiranga, Aluisio Cantuaria, Barata, Ribamar, vamos conferir?

          • Veneide, o leite peidão era,sim da aliança p/ o progresso, que existiu, no Brasil, México e outros países latinos, no período de 1961/70, por iniciativa do John Kennedy. Eu não gostava, pelos efeitos que causava. Mas a Dona Cristina e a mãe da Edinete Moraes, lá no Azevedo Costa (o colégio), sabiam como fazer milagre e comidas gostosas. Quanto ao Sarney…

    • OLÁ QUERIDO ODILON,TENHO TENTADO TE ENCONTRAR,SABER DE VC,COMO ESTÁS,ENFIM TER NOTICIAS DE VC. POXA MEU AMIGO PORQ VC SUMIU? DE NOTICIAS SUAS AO MENOS UM OI,,,QUE DEUS ILUMINE A SUA VIDA MEU QUERIDO,BJSSS EM SEU CORAÇÃO.

  • em minha casa a responsabildade de colocar as trancas e fechar as tramelas era meu bisavo Sr.Manoelito,rsrsr minha biza o chama de Lito!um portugues descendente de espanhol que casou com uma paraense de Santarem,la da Ilha!!que saudade deles!!!sei que estao em um bom lugar nos aguardando.bjs a vc Alcinea que me fez voltar a tao longe longe!hum….acho q vou chorar!obrigada.

  • Oi, Alcinéa.
    Todos nós que um dia moramos em casa de madeira, conhecemos e convivemos com a tramela, principalmente na janela. Como bem lembrou a Veneide, substituía o ferrolho, e também era usado no portão. E eu acrescentaria, também na porta da cozinha, do galinheiro (quem tinha), da “casinha” no fundo do quintal, etc. Ninguém se preocupava muito com segurança porque, como disse a Idália, naquele tempo não tinha ladrão. Importante: geralmente, as janelas eram de madeira, só de uma folha.
    Tá vendo só como essas fotos mexem com as lembranças da gente?
    Um abraço.

  • tramela é um pedaço de madeira pregada na parede que a gente virava para trancaar ajanela; naqule tempo não tinha ladrão pra meter uma faca pelo lado de fora e suspender a tramela para entrar nas casas.

    • Minha querida Idália Lobato, gosto muito quando a senhora comenta no blog.
      E as lindas parreiras do seu quintal, como estão?
      Beijos pra todos.

  • Ola maigo, tta-se dos Del Teobalbo, acompanhado do Insp. Antero Picanço, possivelmente em diligencia nos arredores da “Casa Grande”, próximo à Pedreira, quando daquele evendo de tiroteios… abraço amigoi

  • olha alcinéia, em primeiro lugar, gostaria de te dizer que sou muito amigo de seu irmão ZOTTI. Já sonhamos muito com as canções. mas, já tem alguns anos que não o vejo.
    qto a foto, a única certeza que tenho, até pq fui vizinho dele, que é o delegado theobaldo( esse h ai, foi por minha conta e risco. rsrs…)
    SORTE NA VIDA

    gerson araújo
    músico

  • Tramela ou taramela é isso mesmo, uma tranca de madeira colocada nas portas dessas casas de madeira, nos barracões, nos paióis. Um substituto eficiente para nossas modernas fechaduras.

  • O que está lendo, se não estou enganado, é o saudoso delegado Teobaldo. O outro eu não sei quem é, mas é a cara do Edinho Duarte.

  • Bom dia , Alcinéa! Tem tramela no portão dos fundos da varanda da minha casa da beira do rio; tem tramela na porta da casa da cadelinha la em MCP… a tramela substitui o ferrolho nas portas e janelas e é pratico e economico. Mas existe também uma expressão utilizada para apelidar alguém que fala muito “lingua de tramela”, lembras? Sobre a foto os srs de camisa clara são o Sr. Antero, pai do Odilon, da Oderle, etc e o Sr. Teobaldo, pai do Delegado Teobaldo, da Prof. Rosa, etc.

  • Néa, a tramela é o tipo de fechadura mais barata que tem (em casa tinha dessas). Consiste num pedaço pequeno de madeira, furado com prego e pregado no caixilho da porta ou janela, com finalidade de fechá-la. Antigamente, quando as autoridades prendiam até o Leopoldo Heitor (Delegado Lismar), era possível usarmos tramelas nas casas. Hoje, porém… Ah, também existia aquelas mais elaboradas e que melhor fechavam as casas, tipo um pedaço de pernamanca, atravessando a porta ou janela, preso por duas garras de ferro, nas extremidades.

  • Oi, Adelmo. Onde é isso? Parabéns pela iniciativa. Espero q vc traga sempre mais material desse tipo, afim de que possamos recordar tempos idos.

  • Néa, deu certo a ideia de adivinhar. Parabéns, mais uma vez. Creio que o Sr. de bigode, entre os dois de camisas claras é o Sr. Gentil, pai do Tadeu Pelaes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *