Saindo pela janela

Nascido e criado no bairro da Favela correndo livre nas ruas de chão de batido, passando de um quintal para o outro nos galhos das árvores e fugindo pela janela pra empinar papagaio depois do almoço enquanto a mãe tirava a sesta, o reitor da Universidade Federal do Amapá, José Carlos Tavares, não se abalou quando a porta da rádio universitária travou e ninguém conseguia abri-la.
Lembrando dos tempos de moleque da Favela, Tavares, sorrindo, pulou saiu pela janela. Bem verdade que já não tem a agilidade daqueles tempo.

(A autor da foto é Marxin Leonov, do blog Pravda)

  • Sem dúvida que o nosso reitor Zé Carlos tirou de letra mais esse empecilho na sua vida, assim como já faz na universidade. Para muitas portas que se fecham, sempre há uma janela para a oportunidade, e o segredo é aproveitar essas janelas em nossas vidas. Parabéns!
    p.s.: é sempre bom ter a humildade de aceitar quando essas janelas são abertas por outras pessoas. Nesse caso eu não abri a janela, mas estava lá para empurrar a cadeira para o reitor subir. 🙂

  • Isso nunca pulou o muro da vizinha!Não pouco. Rapa para com isso, tu ainda te “rende” e ae só vai da pro teu. kkkkkkk…Abrs. Zé Carlos!

  • È isso aí, na vida não temos que esperar as coisas acontecerem, nós temos que está prepados para enfrentar qualquer imprevisto, parabens reitor conseguio tirar de letra essa situação.

  • é isso aí….o importante é manter a agilidade mental…não perder tempo na vida…não podemos esperar…a vida é rápida…isso é uma lição de vida!!! rsrs

  • Nossa grande Tavares não tem mais agilidade para dar os saltos de antes. E ainda correu o risco de ficar entalado na janela, em razão do grande volume de tecido adiposo.ehehehehehehehehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *