Tá na Folha Online

Maternidade em Macapá (AP) registra
26 mortes  de bebês desde o início do ano

ESTELITA HASS CARAZZAI
da Agência Folha

A única maternidade pública do Amapá, o Hospital da Mulher Mãe Luzia, em Macapá, registrou desde o início deste ano 26 mortes de recém-nascidos. Apenas no último final de semana, entre sexta (5) e segunda-feira (8), nove bebês morreram.

O número supera a média de mortes por mês na maternidade. No ano passado, sete bebês morreram a cada mês –em janeiro, foram 14 mortes.

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, responsável pela administração da maternidade, a maioria dos bebês mortos nasceu prematura e teve complicações que levaram à morte. O órgão não trabalha com a hipótese de infecção.

O número de prematuros no Estado, diz a diretora clínica da maternidade, Nice Carvalho da Silva, é elevado devido à falta de atendimento pré-natal. “A gente descobre o problema na porta do hospital”, diz.

Segundo a diretora, eventos como esses, em que um grande número de bebês morre, são “esporádicos”. “Vira e mexe, acontece.” O índice de mortalidade neonatal no Amapá é de 27,5 a cada mil nascidos vivos –bem acima da média brasileira, de 13,9.

Silva afirma que nenhuma das mortes teve como fator causador a estrutura do hospital, embora critique a falta de investimentos. “São muitas crianças para leitos e equipamentos insuficientes”, diz.

Para o secretário-adjunto de Saúde do Amapá, Ronaldo Dantas, embora o número de leitos de UTI neonatal siga a recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde), seriam necessários mais deles, devido ao grande número de prematuros.

Uma nova maternidade pública deveria ter sido inaugurada no início de 2009 em Macapá, mas a obra está parada devido a irregularidades na licitação. Diz também que a mortalidade infantil no Estado caiu 1,6% entre 2008 e 2009.

  • N VAI FALAR NADA….!! 🙁 ESSA IMPRENSA fez uma redoma em volta desse governo.. essa informação nao chega pra baixada.. pra periferia.. e eles continuarao a compar votos denovo 🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *