Terra sem lei?

Desde ontem tem gente assustada com a “informação” que chegaram dois pistoleiros em Macapá para matar algumas pessoas. Na lista dos marcados para morrer estaria uma autoridade.
Boato ou não é preciso ficar atentos e fortes, afinal o clima no Amapá anda muito – mas muito – pesado mesmo.

  • Olá, bom dia! Alcinea moro em Belém, mas leio muito sua revista, me chamo Lucila, eu morava aí em Macapá, morei 23 anos e me considero amapaense, pois foi aí que consegui estudar e ter um bom emprego! Estou em Belém há 1 ano e 5 meses. Precisei ir até Macapá em abril passei 5 dias, fiquei horrorizada com o que ví, a cidade abandonada, muito lixo, muito buraco, muita pobreza!!! Esta cidade era pra ser uma das mais belas, bem organizada e bem estruturada em tudo, por ser um lugar pequeno, onde está tanto dinheiro que é repassado para este estado, é um absurto uma cidade se encontrar no anbandono e no descaso. É necessário que o Ministério Público entre com uma ação contra o estado e o município no abandono e descaso com a administração da cidade, para que tenham o compromisso e o dever de arcarem com a responsabilidade de governo e prefeito. Aqui em Belém que é uma cidade grande, dá gosto de andar, pois dirijo aqui e o meu carro nunca precisou ir na oficina, pois as ruas são como tapetes, já aí em Macapá eu vivia na oficina de tanta buraqueira que sempre existiu, desviava de um baraco caia em três! Será que este quadro não vai mudar nunca? Eu gostaria que fosse publicado este comentário, eu quero muito outra vez que chegar aí e pisar em um chão limpo, lisinho, sinalizado, florido e seguro, com ar de soberania e progresso, sem contar com o sorriso das pessoas felizes e satisfeitas por estarem em uma cidade maravilhosa e de valor. E quando me aposentar daqui à três anos voltarei praí para compartilhar a mesma sensação.
    Abraços,
    Lucila Santos

  • Infelizmente é o nosso estado. Enquanto uns ficam ricos de um dia para o outro, aqueles que reclamam de alguma coisa é acusado de fofoqueiro, do contra etc. Nosso Estado foi feito com uma base muito comprometida com a corrupção, a começar pelos concursos fraudados.

  • Enquanto isto, na FAVELA CIDADE DE DEUS (Mucajá), há dirversos marginais, ladrões arrombando carros na orla do Santa Inês e outros assaltando na Parada de Ônibus que fica a 300 metros do QG da PMAP. E ninguém toma providência alguma.

  • Carla, você antecipou tudo o que eu pretendia comentar. A pior morte é a morte moral, a morte da ética. Podem calar a voz de um ou dois, mas o povo a cada dia vai tomando consciência do seu dever Pátrio; de não fugir da luta. O Brasil é maior que os tiranos.

  • Em terra sem lei, só sobrevive os mais fortes, mas a normalidade pode ser restaurada com um bom xerife. Tia Dima nomei esse homem, pelo bem do Amapá.

  • Fatos como esses revelam a atual realidade pela qual passa nossas terras tucujus… Um Estado paralizado por escandalos, desvios de verbas publicas, greves,caos na saude, educacao e no respeito a nossa cidade de Macapa e aos seus cidadaos… Onde se escondeu a etica,o respeito,o dialogo e a honestidade para se fazer politicas publicas que realmente nos facam ter orgulho daqueles em que votamos para nos representar e fazer valer as leis?…

  • Aqui tem mais pistoleiros(na politica,claro)assaltando os cofres públicos e ninguém se assusta,normal.Portanto a diferença entre os dois que chegaram e os que aqui estão é que uns mandam bala(matam,ceifam vidas) e os daqui estão sempre com bala na agulha,ou melhor,nos bolsos e matam do mesmo jeito,pq roubam a saúde,a educação,melhores salários dos servidores,saneamento e todos os direitos dos que pagam horrores de impostos e não vê estes retornarem em forma de beneficios.Portanto matam o povo tirando destes, os direitos por uma melhor qualidade de vida.Terra de Malboro(terra s/lei),onde os pistoleiros dos cofres publicos agem livremente,tão profissionais,quanto os de aluguéis.Isto sim é assustador,clima pesadíssimo.

  • Há notícias da Rádio “Cipó” que em Macapá chegou há dias uma equipe da Globo com o objetivo de montar uma reportagem sobre os fatos trazidos pela Carta Capital a respeito do compadrio e do nepotismo existentes entre o Judiciário e o Legislativo. A esposa de uma autoridade (que teve seu nome e foto estampados na Revista) foi interpelada pelo repórter e, bastante nervosa, acabou enrolando-se mais ainda. Certamente, as demais autoridades envolvidas serão interpeladas e a sociedade amapaense verá mais um capítulo dessa novela de mar de lama das negociatas em nosso Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *