Tragédia no Vila Nova – Nota da C.R.Almeida

A C.R.Almeida, empresa responsável pela construção da ponte sobre o rio Vila Nova, emitiu hoje à tarde uma nota de esclarecimento sobre a tragédia ocorrida sábado, que ceifou a vida de quatro trabalhadores e deixou outros feridos.

Eis a nota:
A empresa CR Almeida S/A – Engenharia de Obras, diante dos fatos ocorridos no dia 20/03/10, às 14:30 horas, vem de público prestar os seguintes esclarecimentos:
1. Do fato
• Ocorreu a queda de 02 (duas) vigas longarinas entre os apoios oito e nove na construção da ponte sobre o Rio Vila Nova, cujas causas até o presente momento são desconhecidas.

• Imediatamente após o evento a empresa instaurou procedimento interno de investigação quanto às suas possíveis causas, o que será levada a efeito em conjunto com a investigação realizada pelo Corpo de Bombeiros e pelo departamento de perícia técnica da Polícia Civil.

• Em conseqüência do ocorrido, vieram a óbito os funcionários:
José Carlos de Oliveira Baltazar (25 anos, contando com 07 meses de trabalho na empresa); Leudivan Cesário Bento (25 anos, com 02 anos e 02 meses de trabalho na empresa);
Miguel Ferreira (57 anos, contando com 04 anos e 03 meses de trabalho na empresa);
Paulo Cesar dos Santos Oliveira (39 anos, contando com 10 meses de trabalho na empresa);

Os funcionários abaixo sofreram ferimentos diversos, sendo encaminhados e, ainda permanecendo hospitalizados no Pronto Socorro, na Cidade de Macapá.
Andre da Silva Santana (27 anos, com 03 anos e 03 meses de trabalho na empresa);
Edivaldo Sobral Pereira (39 anos, contando com 05 meses de trabalho na empresa).

Ainda os funcionários abaixo sofreram alguns ferimentos, sendo encaminhados para o Pronto Socorro, na Cidade de Macapá e liberados após acompanhamento médico.
Edivan Teixeira de Sousa (31 anos, contando com 05 meses de trabalho na empresa);
Gean Borges de Lima (21 anos, contando com 10 meses de trabalho na empresa);
Gilberto Tavares dos Santos (45 anos, contando com 04 meses de trabalho na empresa);
José Ribamar Abreu Barros (48 anos, com 03 anos e 05 meses de trabalho na empresa);
José Wilson de Lima (26 anos, contando 05 meses de trabalho na empresa);
Vicente Souza da Gama (54 anos, contando com 05 meses de trabalho na empresa);

• Os demais funcionários envolvidos nas obras da Ponte sobre o Rio Vila Nova, não sofreram quaisquer ferimentos.

• Todos os funcionários envolvidos no setor afetado iniciaram seu turno de trabalho às 7 horas do dia 20/03/10.

2. Das providências tomadas

• No momento imediatamente posterior ao acidente, todos os procedimentos de segurança interna foram adotados, prestando-se os primeiros socorros às vítimas.

• Foi imediatamente isolada a área, bem como suspensos todos os trabalhos nos demais setores da OBRA.

• Foram acionados o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Polícia Civil e demais autoridades competentes.

3. Do atendimento aos familiares

• A empresa, através de seu serviço de assistência social e serviço médico já contatou os familiares de cada um dos funcionários envolvidos, prestando e assumindo a responsabilidade por todas as providências necessárias ao atendimento tanto dos trabalhadores como de seus familiares.

4. Da Situação da Empresa

• A empresa, encontra-se devidamente regular com suas obrigações legais, contando com todas as licenças necessárias emitidas pelos órgãos competentes, bem como passa por fiscalização destes mesmos órgãos, mantendo suas atividades dentro das mais rigorosas normas de segurança e medicina do trabalho e de engenharia.

• A suspensão das atividades na obra sob a responsabilidade da empresa se faz em decorrência do respeito aos funcionários envolvidos, bem como para que sejam realizadas as investigações preliminares, devendo retornar às suas atividades normais tão logo seja autorizada pelos órgãos competentes.

5. Outras informações

• Toda e qualquer outra informação quanto ao fato ocorrido será prestada somente após a conclusão dos trabalhos de investigação a serem realizados.

  • Os trabalhadores entraram as 7 da manhã diz a empresa, as vigas cairam as 14:30, já se iam sete hora e meia de trabalho, até que horas segueriam trabalhando?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *