Transparência no ar

Grade de programação da Rádio Difusora de Macapá, a emissora oficial do governo, está sendo reformulada.
Dentre as novidades anunciadas está o programa semanal  “Transparência no Ar”, que será apresentado pelo governador Camilo Capiberibe.
Tomara que no primeiro programa ele explique quem colocou esse jabutizão no açaízeiro.

  • O primeiro twitteiro, agora apresentador de programa radiofônico, quando é que ele vai realmente se vestir de governador?

  • Tenho a impressão que o contrato com essa empresa foi feito nos tempos do PP.
    É a mesma apresentadora, portanto, não haveria problemas e sim continuação de um contrato qe goza de presunção de legitimidade.
    Agora se foi feito já esse ano, deve ser postado tudo sobre ele no portal da transparÊncia, que na própria propaganda ele eleva a importância.

  • Só pra descontrarir: O layout da peça publicitária do Gov. do Amapá, tá parecida com o layout do Big Brother Brasil, rsrsrsr… é o Amapá virou um Reality Show literalmete!!

    • Eu já comentei isso no site de alcilene. É a criatividade da equipe de publicidade e propaganda do governo Camilo copiando o que já está no ar desde de janeiro. Hahahaha…..Mudança!!!!!

  • Por enquanto muito barulho e pouca execução com a tão esperada “Transparência” do governo Camilo Góes Capiberibe, a começar pelo Portal de Transparência, que de transparente não tem quase nada, falta e muito pra comprir a Lei 131/2009 (A Lei Capiberibe), só pra citar como exemplo o processo licitatório e convênios não estão publicados no portal, fora outras exigências da Lei Complementar 131/2009 e Decreto Federal Nº 7.185, mas as vinhetas e marcas do Portal da Transparência já estão na TV fazendo aquele barulho para claro fins populistas! Agora imagina vocês que tamanho tá esse “Jabuti no Açaizeiro”. #AbreOlhoMacapá

  • Deve esclarecer, assim espero.

    Imprensa e política não combinam juntas, eu acho que deveria existir uma lei em que políticos não poderiam ser proprietários de veículos de comunicação. A comunicação brasileira é ética contida na barreira política, profissionais sufocados pela falta de mercado livre. Ser jornalista no Brasil é confundido com “porta voz” de políticos. Cabe aos JORNALISTAS colherem assinaturas e mudar o contexto da profissão, liberdade de expressão é constitucional. CHEGA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *