Confira os locais e horários das missas no dia do Círio

Devido o cancelamento da procissão, o Santuário Nossa Senhora de Fátima, no bairro Santa Rita, de onde a cada ano sai o Círio de Nazaré, terá como estratégia, além da missa das 7h30, a realização outras duas celebrações, às 10h e às 19h.

Catedral São José

A Catedral São José sediará os atos centrais do Círio de Nazaré. A Imagem principal permanecerá na Catedral no dia 11 de Outubro. Às 7h30 acontece a missa do Círio, com público limitado e que terá acesso ao local através de convite já distribuído pela organização para voluntários, religiosos (as), autoridades e paroquianos. Não será permitido o acesso à Igreja sem identificação.

A comissão organizadora do Círio incentiva que os fieis interessados em participar das celebrações do dia do Círio procurem a Paróquia mais próxima seguindo as orientações das coordenações locais da missa.

Confira os locais e horários de celebração da missa do Círio:

Vicariato I

  • Paróquia São Benedito: Missa às 7h – Igreja Matriz – Saída da Santa|Carreata (Banco da Amizade – Laguinho);
  • Paróquia Nossa Senhora do Rosário: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Chegada  Carreata;
  • Paróquia Nossa Senhora de Nazaré: Horário e local ainda não confirmados

Vicariato II

  • Paróquia São João B. Piamarta: Missa às 7h – Igreja Santa Maria e São João – Saída da Santa|Carreata;
  • Paróquia Santuário de Fátima: Missa às 7h30 – Igreja Matriz (Santuário) – Chegada da Santa | Carreata; ;
  • Paróquia Jesus de Nazaré: Missa às 7h30 – Igreja Matriz

Vicariato III

  • Paróquia Jesus Bom Samaritano: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Saída da Santa|Carreata;
  • Paróquia Sagrado Coração de Jesus: Missa às 7h30 – Igreja Matriz
  • Paróquia Cristo Bom Pastor: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Chegada da Santa | Carreata;

Vicariato IV

  • Paróquia São José: Missa às 7h30 | 10h | 19h – Catedral (Participação por convite)
  • Paróquia São Pedro: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Saída da Santa|Carreata;
  • Paróquia Nossa Senhora da Conceição: Missa às 7h30 – Igreja Matriz
  • Paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro: Missa às 7h30 – Igreja Matriz – Chegada da Santa | Carreata;

Percurso das carreatas do Círio de Nazaré

Logo após as missas sairão as carreatas

PERCURSO DA CARREATA: VICARIATO 1 (Paróquias Nossa Senhora de Nazaré, Nossa Senhora do Rosário e São Benedito)

Concentração: Bairro Laguinho – Banco da Amizade (Rua General Rondon). Rua Guanabara, Rodovia Perimetral Norte, Rua Brasil Novo, Av. Caneleiras, Rua Mamoeiro, Av. Coqueiro, Rua Brasil Novo, Perimetral Norte, retorno, Rua Bacabas, Rua Petrolina, Av. Carlos Lins Cortes, Perimetral Norte, Retorno na frente da POLITEC, Rua Ver. Adilson José Pinto Pereira, Av. Ana Maria Gomes da Costa – Paróquia Nossa Senhora do Rosário.

PERCURSO CARREATA: VICARIATO 2 (Paróquias São João Piamarta, Santuário de Fátima e Jesus de Nazaré)

Concentração: avenida bosque 683. Percorrendo a Av.18 até Av.7, Igreja São João Piamarta, Rua 5, Av.4 no Marabaixo2 . Percorrendo a Duca Serra, Bairro Cabralzinho. Av. Padre Julio Lombaert, Rua H. Maia, Av. Cora de Carvalho, Santuário de Fátima, Rua Prof. Tostes, Av. Mendonça Furtado, Rua Hildemar Maia, Av. Raimundo Alvares da Costa, Rua Jovino Dinoá, Av. Padre Manoel da Nóbrega, Rua E. Pereira, Av. Carlos Gomes, , Rua H. Silva, Av. Mãe Luzia, Rua J. Dinoá, Av. Nações Unidas, Rua H. Silva, Av. Marcílio Dias, Rua Leopoldo Machado, Igreja Jesus de Nazaré.

PERCURSO DA CARREATA: VICARIATO 3 (Paróquias Jesus Bom Samaritano, Cristo Bom Pastor e Sagrado Coração de Jesus)

Concentração: na entrada do Conjunto da Embrapa, rua Inspetor Marcelino –  na Av. Amadeu Gama  até a Paróquia Jesus Bom Samaritano –   Av Dom José Maritano  –  rua Djalma Nascimento –Igreja São Joao Batista av. Maria Geovanete Pinheiro Borges –  av. inspetor Aimoré  até o Posto de saúde Leozildo Barreto Fontoura –  av. Ivaldo Alves vera até a av. da Estrela no Capela Imaculado Coração de Maria –  av. Saturno –  av. Jupiter/ StephanHouat – rua Remo Amoras de Oliveira/avTembesIgreja Pai Nosso – rua Santos Dumont igreja Nossa Senhora das Dores – av. Tereza Maciel Tavares – Rua Hildemar Maia – av. Timbiras – rua Manoel Eudóxio Pereira, Igreja Divino Espírito Santo – AV. Tamoios -rua Professor Tostes – av 1º de Maio Paroquia Sagrado Coração De Jesus -rua Claudomiro de Moraes – Av . Domingos Amorim,  Posto de Saúde Lelio Silva- trav. Municipalista – av. HeraclitoJuares Filho, Igreja Cristo Redentor – av Tiago Flexa – av João Batista Coutinho -Av. Carlos Drumond de Andrade – Claudiomiro de Moraes, igreja Maria Mãe da Igreja – Paróquia Cristo Bom Pastor.

PERCURSO DA CARREATA: VICARIATO 4 (Paróquias São Pedro, Nossa Senhora da Conceição, São José e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro)

Concentração: Igreja São Pedro – Rua Jovino Dinoá, Rua Beira Rio, Av. Cônego Domingos Maltês, Rua Odilardo Silva, Av. Presidente Vargas, Rua São José, Av. Pedro Américo, Rua Turíbio O. Guimarães, Av. Canal do Jandiá,  Rua Antônio Palaes de Souza, Rua Beira Rio, Av. Vereador José Tupinambá, Rua Acésio Guedes, Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Em cada carreata será possível doar alimentos para as famílias carentes da cidade e donativos em dinheiro.

Programação do Círio de Nazaré

 

Confira a programação

CÍRIO FLUVIAL
Data:10/10/2020 (Sábado)
Local: Saída do Porto da Souzamar até o porto Nortelog / Ponte do Rio Matapi Horário: 8h

CÍRIO DOS MOTOCICLISTAS
Data: 10/10/2020 (Sábado)
Local: Concentração no Porto da NorteLog / Ponte do Rio Matapi
Horário: Na chegada do Círio Fluvial

MISSA DE APRESENTAÇÃO DO MANTO
Data: 10/10/2020 (Sábado)
Local: Catedral São José
Horário: 19h
Entrega das Imagens Peregrinas aos representantes dos Vicariatos. Devido ao limite de pessoas, a participação a esta Celebração é por convite. Em todas as Paróquias de  Macapá será celebrada uma MISSA MARIANA, no horário de costume. Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

VIGÍLIA DE ORAÇÃO DOS MOVIMENTOS E NOVAS COMUNIDADES
Data: 10/10/2020 (Sábado)
Local: Catedral São José
Horário: 21h
Após a Missa de Apresentação na Catedral, os Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades da Diocese de Macapá realizam uma Vigília de Oração em homenagem à Virgem de Nazaré.

DIA DO CIRIO: SANTA MISSA EM HONRA DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ
Data: 11/10/2020 (Domingo)
Local: Catedral São José
Horário: 7h30
Devido ao limite de público, a participação de fiéis nesta celebração é por convite. Também em cada Paróquia de Macapá será celebrada a Santa Missa do Círio em horário de costume pela manhã.
Na catedral São José também será celebrada a missa às 10h e às 19h. Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

HOMENAGEM AOS FALECIDOS PELA COVID-19, BÊNÇÃO COM A IMAGEM DE N.S. DE NAZARÉ E QUEIMA DE FOGOS

Data: 11/10/2020
Local: Em frente à Catedral São José
Horário: 11h30 Homenagem
12h (queima de fogos)

Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

CÍRIO DAS CRIANÇAS
Será oferecido como presente para as crianças o Jogo Caminhando com Maria, composto por um momento de reflexão e cantos e um Jogo de trilha. O encontro deverá ser dirigido pelos pais ou responsáveis. Os kits serão entregues de 05 a 09/10/2020 nas secretarias paroquiais.

LIVE PARA AS CRIANÇAS EM HOMENAGEM A NOSSA SENHORA
Data: 12/10/2020
Horário: 16h
Atrações: Música, brincadeiras e teatro
Transmissão: Facebook Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa)

CÍRIO DOS JOVENS
Data: 17/10/2020
Horário: 16h
Transmissão: Círio de Nazaré – Diocese de Macapá (@ciriodenazaremacapa).
Programação organizada pelo Setor Juventude da Diocese de Macapá.

RECÍRIO E MISSA DE ENCERRAMENTO
Data: 18/10/2020 (Domingo)
Local: Catedral São José
Horário: 10h
Antes da Missa, acontece o retorno das Imagens Peregrinas dos Vicariatos acompanhadas pelos ciclistas até a Catedral São José. Transmissão pela página do Facebook Círio de Nazaré

PROGRAMAÇÃO SOCIAL
DRIVE-THRU E DELIVERY DE NAZARÉ
Venda de cesta e porções de comidas típicas para retirada no local.
Data: 11 e 12/10/2020
Horário: 18h
Local: Em frente da Catedral São José

CÍRIO MUSICAL (LIVE SOLIDÁRIA)
Data: 11/10/2020
Horário: 20h
Atrações: Banda Amém, Anjos das Ruas, Banda Eterna Aliança e Nelsinho Corrêa (Canção Nova)
Data: 12/10/2020
Horário: 18h
Atrações: Ministério Misericordia e Dei, Anjos das Ruas, Ministério Beraká, Banda Raio De Luz.

O Círio Musical – Live Solidária será transmito nas páginas do Facebook Círio de Nazaré e Artistas Católicos do Amapá (@ArtistasCatolicos). Durante toda a programação será realizada a arrecadação de alimentos não perecíveis para doação a famílias carentes.

Círio 2020 – Programação começa sábado

A Programação oficial do Círio de Nazaré 2020 inicia neste final de semana e duas missas que serão celebradas na Catedral São José para o envio das imagens que ornamentarão os altares das famílias e instituições públicas ou privadas durante o período de peregrinação.

No sábado (19), às 19h, a primeira missa será presidida pelo bispo de Macapá, dom Pedro José Conti, para a bênção das imagens. Os convidados para esta celebração são os responsáveis ou representantes das instituições públicas e privadas que todos os anos recebem a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré.

No domingo (20), às 10h, a segunda missa recebe os representantes de famílias, grupos e comunidades para a bênção das imagens. A celebração será presidida pelo pároco da Catedral e coordenador do Círio de Nazaré 2020, padre Rafael Donneschi. A partir desta celebração as famílias devem organizar os ambientes das residências, pontos comerciais, ou outros espaços para momentos de oração e homenagem em preparação para o dia 11 de outubro, dia do Círio.

Peregrinação

Por conta da pandemia da Covid-19, a programação da peregrinação com a Imagem Peregrina foi restrita aos ambientes preparados pelas instituições visando evitar aglomerações. No período de 21 de setembro a 8 de outubro as imagens abençoadas estarão expostas nas instituições para os momentos de devoção, oração e homenagens organizados para este ano.

Este ano, 47 instituições, entre órgãos públicos e organizações privadas, se inscreveram antecipadamente para participar da programação oficial em homenagem à Virgem de Nazaré. Além destas, outras podem ainda organizar os ambientes para realizar suas homenagens.

A comissão do Círio de Nazaré, sob a motivação do bispo de Macapá dom Pedro Conti, incentiva aos fiéis católicos devotos de Nossa Senhora de Nazaré a enfeitarem e preparem durante todo este período as residências e ambientes oportunos em homenagem à Virgem.  

(Pastoral da Comunicação)

Definido novo formato para a celebração Círio de Nazaré 2020

A celebração do 2º domingo de outubro acontece na Catedral São José e nas Paróquias. Em carro aberto, imagens peregrinas percorrem os bairros de Macapá

Nesta sexta-feira (11), o bispo de Macapá dom Pedro José Conti anunciou nas redes sociais e nos meios de comunicação da Diocese o novo formato para as celebrações deste ano do Círio de Nazaré.  Os eventos centrais preparados para os dias 10 e 11 de outubro acontecerão na Catedral São José e, simultaneamente, na Igreja Matriz de cada Paróquia de Macapá.

De acordo com o bispo, este será “o Círio nas Paróquias”. A descentralização das celebrações é a medida para evitar a aglomeração de público, bem como, possibilitar que os fiéis vivam dentro de cada realidade paroquial a tradição do Círio.

Segundo a programação, no sábado (10), às 19h, uma missa será celebrada na Catedral São José para a apresentação do manto da imagem principal. Após a celebração, serão entregues aos quatro Vicariatos as imagens peregrinas.  Após a missa, às 21h, uma Vigília de Oração será realizada com a presença dos Movimentos Eclesiais, Novas Comunidades e Grupos da Diocese de Macapá.

Simultaneamente a missa da Catedral, as comunidades estarão reunidas na Igreja Matriz de cada Paróquia para celebrar também a missa pré-festiva votiva à Virgem de Nazaré, como expressão de comunhão eclesial e devoção. Também nas Paróquias deverá acontecer após a celebração uma vigília de oração, desta vez, com a participação da juventude.

No domingo, às 7h, na Catedral e também em cada Igreja Matriz Paroquial, acontece a tradicional Missa do Círio. Após as celebrações, as quatro imagens peregrinas percorrem em carro aberto os bairros da capital, de acordo com o percurso organizado por cada Vicariato. A imagem principal permanecerá exposta na Catedral São José para as celebrações das 10h e 19h do dia do Círio, para as celebrações da semana e eventos da programação social.

A Comissão Organizadora convida os fiéis no dia do Círio a ornamentarem com enfeites e altares a frente das residências ou outros ambientes possíveis para fazerem sua homenagem à Virgem de Nazaré durante o percurso, sempre respeitando as medidas de distanciamento e uso de máscara.

Homenagens

Dom Pedro Conti também anunciou que outra novidade nesta programação acontece após a missa das 10h no domingo (11). Em frente à Catedral São José vai acontecer uma homenagem às vítimas da Covid-19 no Amapá. Após a homenagem, será realizada uma queima de fogos em honra a Nossa Senhora de Nazaré.

A queima de fogos será está programada também para o final de cada carreata dos Vicariatos, podendo também ser realizada pelas comunidades ou pelas famílias reunidas.

O Círio nas Paróquias continua de 11 a 17 de Outubro com as imagens peregrinas percorrendo as igrejas, capelas, comunidades, instituições e famílias, segundo a programação e percurso organizado por cada Vicariato.

Por Jefferson Souza – Pastoral da Comunicação

Círio de Nazaré – Uma flor para Maria

A comissão do Círio de Nazaré 2020 iniciou ontem, 7, a campanha “Uma flor para Maria”. O objetivo é arrecadar doações para a compra das flores que irão compor os andores que levarão as imagens da Virgem de Nazaré. Para este ano, serão utilizadas flores artificiais, uma forma de conter as despesas neste tempo de pandemia.

Serão quatro andores decorados por fiéis voluntários da Comissão de Ornamentação. Eles serão utilizados nas carreatas dos vicariatos e substituirão a tradicional Berlinda que por conta da pandemia, não sairá as ruas da cidade, mas ficará exposta em frente a catedral com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré.

“Apesar de não haver a procissão do Círio, vamos redecorar a berlinda com novas flores para que ela fique bem bonita durante o período da festa. Além disso, as doações ajudarão na ornamentação dos andores que levarão as imagens peregrinas”, explicou a coordenadora da equipe de ornamentação Sultana Benathar.

As contribuições podem ser realizadas de forma presencial, através do cartão de crédito ou débito na Secretaria do Círio,  e por transferência bancária com o uso dos dados a seguir:

Doações:
Banco Bradesco
Agência: 1420
Conta Corrente: 131680-0
Em nome da Mitra Diocesana de Macapá
CNPJ:07.814.217/0001-84

A secretaria funciona de segunda a sexta, de 8h às 12h e 14h às 18h , no sábado de 8h às 14, no subsolo da Catedral São José. Os interessados podem entrar em contato também através do telefone (096) 9167-4731 ou pelo e-mail [email protected].

Lição de música – Dom José Conti

Lição de música
Dom Pedro José Conti – Bispo de Macapá

O famoso músico Franz Liszt era uma pessoa gentil por natureza, mas, em algumas ocasiões, sabia ser extremamente severo. Certa vez, um jovem músico lhe trouxe uma composição para ter a aprovação do maestro. Liszt apontou algumas notas erradas e lhe disse:
– Isto não se pode fazer numa composição musical! Mas o jovem compositor, para vangloriar-se, respondeu:
– Mas eu fiz! Liszt foi à escrivaninha, pegou uma caneta molhada na tinta e jogou o líquido na veste do jovem dizendo:
– Também isto se pode fazer, mas não deve ser feito. Depois que saíram, Liszt comprou uma roupa nova para aquele jovem.
Não sei se essa foi mesmo uma correção fraterna ou um puxão de orelha. De qualquer maneira, o jovem ganhou uma roupa nova e tomara que tenha aprendido a lição. Com isso, quero dizer que a correção de quem está errado deve ser feita, é uma obrigação amorosa. Silenciar seria deixar o irmão sozinho, trilhando caminhos perigosos. Os frutos da correção, porém, dependem somente da pessoa que está sendo corrigida. Sem a colaboraç ã o de quem está errado e a disposição dele para mudar o seu comportamento, nada de melhor acontece.
Com o evangelho deste 23º Domingo do Tempo Comum, entramos de cheio na leitura do “Sermão da Comunidade”. Quando Mateus escreveu o seu evangelho tinha à sua frente uma comunidade bem precisa, feita de homens e mulheres reais com todas as qualidades e defeitos semelhantes àqueles que todos nós carregamos. Sem dúvida alguma, o batismo que recebemos, a fé em Jesus Cristo e o esforço para segui-lo deveriam nos unir mais de outros projetos de conquista, de sucesso e de lucro que t&ecirc ;m os se us inúmeros adeptos e seguidores. No entanto, caminhamos neste mundo carregando as consequências do pecado, também se acreditamos na misericórdia de Deus e na vitória final do amor e da vida sobre o mal e a morte. A “santidade” – ou a perfeição, se isso ajuda a entender melhor – é uma meta a ser alcançada, um dom que deve ser pedido e almejado durante toda a nossa existência. Ninguém se torna “santo” de um dia para o outro, milagrosamente. Para todos é “estreita a porta e apertado o caminho que conduz à vida” (Mt 7,14). Talvez seja essa “a cruz” que somos chamados a carregar cada dia: a carga pesada das nossas limitações e dos nossos defeitos, do mal que fazemos, tantas vezes sabendo, muito bem, que estamos errados. Evidentemente, esta é uma angústia que experimentam os que buscam a “santidade&r dquo;, p ouco ou nada importa de tudo isso aos medíocres e aos indiferentes. Muitos de nós se conformam com o próprio jeito, exigem que sejam os outros a mudar para aceitá-los como eles são, mas dificilmente eles mesmos se esforçam para serem melhores e mais humanos.
Jesus ensina a correção fraterna para a comunidade dos seus amigos porque ele nos deseja unidos, “um só coração e uma só alma” (At 4,32), vivendo uma comunhão exemplar, cheia de misericórdia e compaixão. Isso significa a superação de todo ódio, inveja e divisão. A esperança da “santidade” pessoal se torna assim a esperança da comunidade reunida, de maneira especial quando ela escuta a Palavra do Senhor, celebra a sua me m&oacute ;ria na Eucaristia e pratica a caridade. A correção fraterna não interessa a quem orgulhosamente se acha sempre certo e somente enxerga os defeitos dos demais. Ao contrário, ela é muito preciosa para quem busca crescer na vida cristã. Sei que é muito difícil sermos agradecidos a quem aponta algum erro nosso. Logo pensamos na maldade dessa pessoa. No entanto, Jesus diz que quem faz a correção e quem a acolhe dele se tornam irmãos de verdade, amigos, unidos pela cumplicidade do bem. Precisa, porém, ser discretos, manter o segredo, nunca expor o irmão, ou a irmã, a um público que, talvez, nada sabe da situação e que vai julgar somente por conversas superficiais. A correção fraterna e comunitária são provas de amor e de cuidado para que ninguém se perca (Mt 18,14). Bem diferente de um certo uso das redes sociais…

Círio de Nazaré – Carreatas em vez de procissão por causa da pandemia

O bispo de Macapá, dom Pedro José Conti e o coordenador do Círio de Nazaré padre Rafael Donneshi divulgaram nesta quarta-feira, 5, a proposta da Diocese de Macapá e da Comissão Organizadora para a programação da festividade neste ano em honra a Nossa Senhora de Nazaré.

Por causa da pandemia não haverá a tradicional procissão no segundo domingo de outubro. A missa campal está mantida. Mudou apenas de lugar: em vez de ser na Praça Nossa Senhora de Fátima será no estádio Zerão.
Nos anos anteriores após milhares de fiéis seguiam em procissão até a igreja de São José. Este ano, a procissão será substituída por carreatas. Cinco carreatas com imagem da Virgem de Nazaré percorrerão a cidade.

“Finalmente, podemos comunicar uma primeira proposta que esperamos ser realizável da programação do Círio”, disse dom Pedro. “Digo possível, porque sempre temos que acompanhar as permissões dos Comitês para o combate da Covid-19”, explica.

De acordo com Dom Pedro, com o processo de flexibilização destes dias, a expectativa é que em outubro se possa realizar a programação com as devidas medidas de segurança sanitárias. “Não terá a procissão. Isso já anunciamos antecipadamente. Porque seria uma grande aglomeração com um risco incomparável”, disse.

O bispo explica que a proposta, portanto, é favorecer que os fiéis acompanhem a programação em casa, pelas ruas ou comunidades paroquiais.

Programação
No sábado, 10 de outubro, às 19h, na Catedral São José haverá a tradicional missa da troca do manto, seguida da transladação em carreata da Imagem da Virgem de Nazaré para o estádio Milton de Souza Corrêa (Zerão). Após a chegada da Imagem no estádio, uma Vigília de Oração será realizada com os movimentos eclesiais e novas comunidades da Diocese.

No domingo, 11 de outubro, às 8h, acontece a missa campal no estádio Zerão, com número limitado de participantes distribuídos por paróquia e vicariatos. O local foi escolhido para que se pudesse realizar o controle do número de fiéis de forma a garantir o distanciamento na arquibancada.

O estádio tem capacidade de público de 5 mil pessoas, mas o número de fiéis dentro para a missa campal do Círio deve ser reduzido a menos da metade para atender as orientações das autoridades que indicarão o número de pessoas permitido.

Carreatas
Após a missa no estádio, a comissão prevê a realização de cinco carreatas com imagens peregrinas da Virgem de Nazaré. “Pensamos nos quatro vicariatos, por isso vamos entregar quatro imagens de Nossa Senhora de Nazaré para que sejam levadas, cada uma, no seu vicariato”, explica o bispo.

A partir de uma paróquia pré-definida sai uma carreata com a imagem da santa pelas ruas, bairros, comunidades, passando por todas as paróquias do Vicariato. Em Macapá, a Diocese possui quatro Vicariatos que reúnem as 13 paróquias da cidade.

Além destas quatro carreatas previstas, outra com a Berlinda levando a Imagem principal da Virgem percorre um outro trajeto até a Catedral São José. Desta forma descentralizada, os fiéis podem acompanhar a carreata mais próxima. Os trajetos serão divulgados em breve.

Descentralização
A programação está sendo organizada para descentralizar os eventos do Círio. As paróquias da cidade sediarão as novenas, os momentos de peregrinação, as carreatas e outros momentos devocionais, como exemplo o Círio dos Jovens.

Até o momento a Comissão organizadora tem como confirmadas as romarias fluvial e dos motociclistas.

Artigo dominical

A escada da oração
Dom Pedro José Conti – Bispo de Macapá

Um famoso produtor cinematográfico suscitava a curiosidade de todos, porque tinha o costume de usar as escadarias de serviço do edifício onde trabalhava todo dia e nunca aproveitar do elevador.

Um dia, o pessoal quis saber o porquê dessa escolha. Ele simplesmente respondeu:
– Seria mais fácil usar o elevador, mas eu prefiro a minha “escada de oração”. Pela manhã, subo a escadaria devagar e, assim, tenho alguns minutos de oração. Peço a Deus que me dê luz para tomar as decisões certas ao longo do dia. Lembro-me dos milhares de pessoas que trabalham nas minhas empresas e os milhões que irão assistir aos nossos filmes. Ao entardecer, desço também a escada para ter tempo de agradecer ao Senhor pela sua ajuda.

Muitos devem ter pensado que era um esforço inútil e uma burrice. Podia rezar em outro lugar e em outro momento. Verdade. No entanto, para aquele senhor, muitas coisas se passavam por sua cabeça subindo e descendo as escadarias. Orar a Deus e preocupar-se com a situação dos demais tornava leve a sua fadiga. Quem age por amor, não sente, digamos, tanto assim, o peso do seu esforço. A certeza de ajudar alguém alegra o coração e multiplica as forças. Ao contrário, quando fazemos as coisas por obrigação, por interesse ou sem nenhuma motivação significativa, tudo fica mais cansativo e buscamos encontrar todas as formas possíveis para aliviar, ou mesmo burlar, os nossos compromissos. Este é, em poucas palavras, o ensinamento do evangelho deste domingo. Jesus fala do “jugo” e do “fardo” dele que, para quem os carrega com o mesmo esp&ia cute;rit o amoroso, tornam-se “suave” e leve”. Será que acreditamos nisso? Antes, porém, vamos lembrar outras palavras do trecho evangélico deste domingo, no qual Jesus louva ao Pai porque esconde certas “coisas” aos sábios e entendidos e as revela aos pequeninos. Que “coisas” serão essas?

Continuamos com a leitura do evangelho de Mateus. Jesus lamenta a incredulidade das cidades por onde passou. O anúncio do Reino foi acompanhado por sinais. Justamente aqueles que os profetas tinham apontado como distintivos do “messias”. Foi também lembrando esses mesmos sinais que Jesus respondeu à pergunta de João Batista se era ele, Jesus, o esperado ou se deviam aguardar outro. Com todas essas manifestações, os moradores daquelas cidades não deviam ter reconhecido e acolhido Jesus como o “ Cristo”? Não foi bem assim e nós conhecemos o desfecho da missão de Jesus. Com esta recusa já aparece, no horizonte, a sombra da cruz. Mas será que ninguém mesmo compreendeu a novidade que a própria pessoa de Jesus representava e realizava?

Eis a resposta do evangelho de Mateus: “os pequeninos”! Eles acolheram o profeta da Galileia! Com o título de “pequeninos”, algumas vezes, é indicado o pequeno grupo dos seguidores de Jesus, mas, neste trecho, quem está do lado oposto são os “sábios e entendidos”, ou seja, todos aqueles que se achavam autorizados a julgar o falar e o agir de Jesus. São os adversários de sempre: fariseus e doutores da Lei. Então, Jesus nos diz, hoje, algo maravilhoso: entender e acolher o Filho – e todas as “coisas” que ele nos trouxe – é dom do Pai que, gratuitamente, as revela a quem ele quer, preferencialmente, aos “pequeninos”, aos simples e aos pobres.

Por sua vez, o Filho, com o seu falar e agir revela o Pai. Mais uma vez, somos convidados a nos esvaziar dos nossos esquemas e preconceitos para pedir ao Pai que torne os nossos corações capazes de acolher Jesus. Nesta altura, podemos entender que têm visões da vida e da sociedade que são pesadas, porque geram disputas, preocupações exageradas, brigas, confusões, “estresse”.

Os “pequeninos” começam a entender que um olhar e um agir mais amorosos e fraternos, consequência do seguimento de Jesus, conseguem tornar a vida mais leve, porque mais rica de sentido e valores. Nas subidas e descidas da vida, o cansaço de “lutar” por amor a Deus e ao próximo sempre será mais leve e gratificante do que gastar a vida atrás dos próprios interesses egoístas e gananciosos.