Boa notícia – Amapá reduz casos de dengue em 97%

Diferente do que acontece a nível nacional, com o aumento de casos de dengue em vários estados do país nos três primeiros meses de 2019, no Amapá, a política de combate ao Aedes aegypti do governo do Estado continua garantindo um quadro de redução que, atualmente, ultrapassa os 95% de queda nas notificações.

O comparativo feito pela equipe da Unidade de Zoonoses da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) tem como base os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação. O levantamento foi feito entre as semanas epidemiológicas de 1 e 12, referente ao período de 30 de dezembro de 2018 até 22 de março de 2019.

De acordo com os números, houve redução de 97% dos casos confirmados de dengue. Foram 751 nos três primeiros meses de 2018 e, no mesmo período de 2019, 20 casos tiveram confirmação.

Quanto à Chikungunya, o número de casos baixou de 180, em 2018, para 14 neste ano, uma redução de 92%. Também houve diminuição no número de pessoas infectadas pelo Zika Vírus. Se no ano passado, houve 17 casos no período comparado, em 2019 foram três confirmações, queda de 82%.

Ainda de acordo com a SVS, no ano de 2018 foram registrados 15 casos suspeitos de Zika em grávidas, enquanto neste ano, até o momento, não foram registrados casos suspeitos.

Na segunda-feira, 25, o Ministério da Saúde alertou estados e municípios sobre o aumento de 264,1% dos casos de dengue no país, que passaram de 62,9 mil, nas primeiras 11 semanas de 2018, para 229.064, no mesmo período deste ano.

Para o superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia, o trabalho desenvolvido pelo governo, de monitoramento e reforço das ações, tem sido decisivo para que o Estado obtenha resultados positivos.

“Em que pese o período chuvoso e o fato de vivermos na região amazônica, propícia ao avanço de doenças como as relacionadas com o Aedes aegypti, investimentos como a contratação de novos agentes de endemias e os treinamentos, e constante acompanhamento de nossas equipes levam a esse resultado que muito nos alegra, pois significa promoção de saúde e melhores condições de vida para nossa população”, destacou o gestor.

O Informe Epidemiológico da SVS de Dengue, Chikungunya e Zika – edição 04/2019 – está disponível no site da SVS. Nele, contam informações detalhadas de cada município.

(Fonte: Secom)

Fones de ouvido podem prejudicar audição

A utilização de fones de ouvido é cada vez mais comum, especialmente por crianças e adolescentes, com acesso ao celular. O acessório, usado pelo público para ouvir músicas e vídeos, também é um dos grandes causadores de problemas relacionados à audição, segundo a otorrinolaringologista Vanessa Brito.

Os prejuízos vêm pelo uso descontrolado, por longos períodos, e em volume acima do normal. “Quanto mais nova a pessoa, mais sensível é o ouvido. O recomendável é que o uso dos fones seja em um tempo seguro de uma hora, com intervalos de 10 a 15 minutos. O ideal é que o volume fique entre 80 e 85 decibéis, o que seria o equivalente à metade da barra de volume dos aparelhos”, explicou a especialista.

De acordo com a médica, a evolução dos problemas auditivos é um processo quase imperceptível e que, na maioria dos casos, já são diagnosticados como surdez, sendo, alguns, considerados irreversíveis. Para esses quadros, são indicados aparelhos auditivos. Antes que isso aconteça, é recomendável procurar ajuda médica logo nos primeiros sinais, como zumbidos, chiados alongados iguais apitos, sons de grilo, ou sensibilidade ao som.

A escolha dos modelos de fones de ouvido também é importante para manter a saúde auditiva. Os tipos intra-auriculares, que são os mais comuns hoje em dia, são os que mais causam prejuízos por ficarem mais próximos do conduto auditivo. Os modelos que ficam por fora do ouvido ficam mais distantes do conduto e, consequentemente, são menos agressivos.

(Fonte: Secom/GEA)

Vigilância Sanitária interdita cinco clínicas odontológicas em Macapá

Cinco clínicas odontológicas foram autuadas por não oferecer condições de saúde e segurança aos consumidores. As autuações aconteceram durante uma ação específica da Divisão de Fiscalização da Vigilância Sanitária, que iniciou na quarta, 23, e encerrou na manhã desta quinta-feira, 24, nos bairros Laguinho e Central. Foram encontrados produtos fora do prazo de validade, licenças de funcionamento vencidas, falta de higiene e o exercício ilegal da odontologia.

“Essa ação é fruto de várias denúncias, que foram ofertadas na Vigilância Sanitária e órgãos de proteção do consumidor. Durante as diligências, encontramos várias clínicas e laboratórios de próteses dentárias sem as condições adequadas para funcionamento, e já foram interditadas. Desta maneira, estamos dando continuidade ao enfrentamento às irregularidades nesse aspecto”, explica a chefe de Fiscalização da Vigilância Sanitária, Débora Silva.

Os produtos apreendidos serão destruídos por uma empresa especializada e os proprietários dos estabelecimentos foram intimados a comparecer no prazo de 10 a 15 dias à Vigilância Sanitária para prestar esclarecimentos. A ação  teve o apoio do Conselho Regional de Odontologia e do Procon/AP.

Janeiro branco

O “Janeiro Branco” é uma campanha dedicada a conscientizar a população sobre a importância da saúde mental e emocional. Pensando nisso, a Coordenadoria de Saúde Mental da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) irá realizar entre os dias 31 de janeiro e 2 de fevereiro o workshop “Janeiro Branco: o Amapá Unido Pela Saúde Mental”.

O objetivo da programação é envolver e divulgar os serviços ofertados gratuitamente em todo o Estado do Amapá para que os usuários saibam onde encontrar o atendimento adequado ao seu tipo de necessidade.

A abertura do evento será no dia 31 de janeiro no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), de 8h as 12h e das 14h às 18h30.

Município fará ação de saúde no bairro Beirol nesta quarta

O Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf 07) fará ação nesta quarta-feira, 16, a partir das 8h, na quadra de esportes do Centro Didático Raimundo Adamor Picanço, no bairro Beirol. Serão ofertados testes rápidos de hepatite, sífilis, HIV, e glicemia, aferição de pressão arterial, além de atendimentos com clínico geral, psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista e assistente social.

Serviço
Data: 16/01 (quarta-feira)
Hora: 8h às 12h
Local: quadra de esportes do Centro Didático Raimundo Adamor Picanço
Endereço: Rua Jovino Dinoá (ao lado do Siac/Super Fácil)

Em Macapá nove médicos já se apresentaram para substituir os cubanos

Os médicos que irão substituir os cubanos no Programa Mais Médicos, do Governo Federal, já se apresentaram à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) para entregar a documentação necessária para a homologação do contrato. Foram contratados nove profissionais, dois trabalharão no Bailique, um em Tracajatuba, próximo a São Joaquim do Pacuí, e os demais na capital.

Workshop de plantas medicinais e fitoterápicos

O Governo do Amapá realizará nesta terça-feira, 27, de 8h às 18h, o I Workshop de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, no Museu Sacaca, em Macapá. Organizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o evento tem como objetivo apresentar o programa de implantação de plantas medicinais e fitoterápicos com seus eixos de manipulação, dispensação e capacitação. E vai apresentar dois fitoterápicos regionais e três medicamentos fitoterápicos industrializados elencados na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename).

Os dois fitoterápicos regionais são: Andiroba (Carapa guianensis), para uso tópico indicado como anti-infalmatório e Sacaca (Croton cajucara Benth), cujo uso é feito através da Tintura Sacaca, indicada para a redução do teor de gordura no sangue (colesterol e triglicérides) e controle de distúrbios dos rins e diabetes.

Os outros três medicamentos industrializados elencados na Rename e que também serão ofertados na rede SUS do Amapá, são: Garra do Diabo (Harpagophytum procumbens), para uso oral indicado como anti-inflamatório e no tratamento da dor lombar baixa aguda e como coadjuvante nos casos de osteoartrite; Unha de Gato (Uncaria tomentosa), anti-inflamatório de uso oral e tópico utilizado nos casos de artrite reumatóide, osteoartrite (artrose) e como imunoestimulante e, Soja (Glycine max), indicado como auxiliar no alívio dos sintomas do climatério.

(Secom)

“Liberdade e a política de saúde mental” é tema de audiência pública promovida pelo MPF e MP-AP

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP) promovem, em 22 de novembro, a audiência pública “Liberdade e a política de saúde mental”. O evento ocorre no auditório do curso de enfermagem da Universidade Federal do Amapá, das 9h às 12h e das 14h às 17h. Autoridades públicas, movimentos sociais e demais cidadãos estão convidados a participar do debate. A inscrição para participação pode ser feita no próprio local do evento ou, previamente, on-line. Para acessar o formulário de inscrição, clique aqui.

Coordenada pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, a audiência tem como objetivo principal o Continue lendo