Operação Citrus III – Políticos, empresários e servidores públicos fazem parte da quadrilha

A Operação Citrus, deflagrada na manhã de hoje,   combate um esquema de desvio de recursos públicos na Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) na ordem de R$ 45 milhões.

Estão sendo cumpridos 12 mandados de prisão, sete de  conduções coercitivas e 19  de busca e apreensão nos estados do Amapá, Tocantins, Minas Gerais, Pará e no Distrito Federal. Em Macapá, entre os presos, está o superintendente da Funasa, José Roberto Galvão. Ele foi preso em sua própria casa, no centro de Macapá, por volta das 7h.

De acordo com a Polícia Federal em cinco meses de investigação foi apurado  o desvio de recursos públicos destinados à construção de sistemas de abastecimento de água, nos municípios de Laranjal do Jari e Oiapoque. A investigação  foi subsidiada por relatórios da Secretaria de Controle Externo do Tribunal de Contas do Amapá.

Em nota a Polícia Federal informou que o montante desviado corresponde aos recursos pagos pelas prefeituras de Laranjal do Jari e Oiapoque à empresa executora da obra sem a correspondente contraprestação dos serviços de engenharia contratados. Entre os responsáveis pelas execuções fraudulentas das obras estão políticos, empresários da construção civil, engenheiros e servidores públicos.

Os acusados responderão pelos crimes de Peculato, Falsidade Ideológica, Lavagem de Dinheiro, Formação de Quadrilha e o Art 1º do Decreto 201 (dispõe sobre a Responsabilidade dos Prefeitos e Vereadores).

  • amiga lembras do nosso tempo de Escoteiro/Grupo São Mauricio Nossa Senhora de Fátima/Madurela/Orlando/ Grilo/Alcione/JJ/Fátima Simões e outros/Acampamentos/varias brincadeiras inesquesiveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *