Confirmado primeiro caso de H1N1

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), através da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS) e Divisão de Epidemiologia do Estado, divulgou por nota a confirmação do primeiro caso de influenza A (H1N1) na Capital. O paciente foi uma criança de cinco anos atendida no Pronto Atendimento Infantil (PAI). Assim que foi confirmado o fato, técnicos da Divisão Epidemiológica tomaram todas as precauções, bem como, o monitoramento do paciente e de seus familiares.

O paciente queixava-se de febre, tosse, calafrio, dor de garganta, dores nas articulações, musculares, conjuntivite, coriza, dor de cabeça, dor ao redor dos olhos. Os sintomas iniciaram-se no dia 31 de março, e em 04 de abril a criança recebeu atendimento no Pronto Atendimento Infantil, depois foi transferida para o Hospital da Criança e do Adolescente (HCA), por apresentar sintomas de Influenza A (H1N1).

Assim que houve a suspeita da Influenza A, a criança foi isolada e submetida aos exames que foram encaminhados para o Instituto Evandro Chagas, sendo confirmado pelo Instituto a Influenza A/H1 Linhagem suína, no dia 12 de abril.

“Antes mesmo dos resultados, a criança passou por tratamento e já se encontra em casa e passa bem”, comenta o chefe da Divisão Epidemiológica, Patrício Almeida.

O H1N1 é como uma virose comum hoje em dia, porém sofre mutações constantes, por isso o cuidado em registrar todos os casos da doença, para que sejam submetidos a estudos nos Institutos competentes, com objetivo de aprimorar as próximas vacinas.

Patrício explica, ainda, que o Ministério da Saúde irá intensificar a campanha nacional contra a Influenza A no próximo mês.

“A campanha acontecerá no período de 05 a 25 de maio. Serão imunizadas crianças de 6 meses a menor de 2 anos, gestantes, idosos a partir de 60 anos, profissionais de saúde e população indígena. Mas algumas atitudes podem prevenir a pessoa contra a gripe como: cobrir a boca ao espirrar, lavar as mãos com água e sabão, evitar contatos com pessoas gripadas, usar lenços descartáveis e antissépticos ou mesmo o álcool, entre outros hábitos de higiene saudáveis, além de uma boa alimentação”.

Para o secretário de Estado da Saúde, Lineu Facundes, a população deve ficar tranquila, pois toda a rede de saúde está acionada para os eventuais casos de influenza A.

“A rede de serviços de saúde está preparada para identificar precocemente os casos e realizar o tratamento com as medicações devidas, pois as temos em estoque na Central de Medicamente”, concluiu.

(Alieneu Pinheiro/Sesa)