Tim-tim!

Meu amigo Jocildo Lemos trocando de idade hoje.
Mas a festa começou ontem à noite, com um jantar numa churrascaria. Prosseguiu hoje em sua residência  e amanhã, com certeza, ainda ganha mais paparicos. Desta vez dos colegas de trabalho da Prefeitura, onde exerce o cargo de secretário de Finanças.

Os 70 anos de Francisca Guedes

Minha amiga e colega de magistério  Francisca Guedes, professora aposentada (trabalhamos juntas na Escola Integrada de Macapá), comemorou 70 anos de idade ontem com um chá da tarde no salão de eventos do Macapá Hotel.

Com as filhas Simone e Núbia

Ela nasceu na Paraíba e ainda garotinha veio para o Amapá. Aqui estudou, se formou e trabalhou muito. Casou-se com o poeta e professor Luís Alberto Guedes (dizem que ela conquistou o poeta com um bolo de tapioca e ele a conquistou com poesias). Hoje são grandes amigos e confidentes. Da união nasceram Núbia, Simone e Alberto.

Com a grande amiga Diva

Chica é uma pessoa fantástica, daquelas que entra no coração da gente e fica para sempre. É alegre, conversadeira, vaidosa e amiga, amiga mesmo.

Mãos de fada, adora preparar guloseimas para os netos e quitutes para os amigos. Tem uma energia de fazer inveja aos mais moços. Gosta de bater perna no comércio, não tem um dia que ela não arrume um motivo pra sair. Vai no super-mercado, no comércio, na farmácia, na feira…  E sai também pra comer um camarão no bafo, dançar ou papear tomando um bom vinho com a família e amigos.

Outra paixão dela é viajar (conhece o Brasil de ponta a ponta).

Chica estava imensamente feliz ontem. E eu também, pois fazer parte de seu círculo de amigos há tantos e tantos anos é um privilégio.

Foi um maravilhoso reencontro de velhos amigos, marcado por muito afeto e alegria. Reencontrei lá tantas pessoas que, como Chica,  deram uma grande contribuição a educação amapaense, como Maria Helena, Sol Elarrat Canto, Isabel, Helena Bemerguy, Alzira, Conceição Braga, Graça Viana, Luíza, entre outras.

Hummmmm… de dar água na boca

Moqueca de peixe feita por Lucas Barreto

Reunimos ontem à noite, em minha casa, um pequeno grupo de queridos amigos  para um bate-papo saboreando esta deliciosa moqueca de peixe feita  pelo  Lucas Barreto.
O encontro começou por volta das 20h e se estendeu até a madrugada.  Falamos de Semana Santa,  gastronomia, contamos causos e piadas e claro que falamos também de política, tanto local como nacional.
Uma das coisas que me dá imenso prazer é receber amigos em casa para um chá, um cafezinho, um almoço ou jantar, na sala, na área, no pátio ou no quintal sob a frondosa mangueira, sem frescuras, sem formalidades, como ontem. É assim, rapidinho a gente faz a festa. Liga pra um, liga pra outro e de repente se reúne os amigos para curtir os bons momentos da vida.
Ontem, por exemplo, o mano Alcione  e esposa Vilma deram a idéia de comermos um peixe, afinal já era Semana Santa. O Lucas Barreto se prontificou a fazer a moqueca. Meu marido e meu filho, como sempre, providenciaram o gelo, cerveja e refrigerante. E logo logo estávamos todos reunidos: Cel Carlos e Reka,  Cel Dias e Alcilene, Lucas Barreto, Jaime Nunes, Randolfe Rodrigues, Márcia Corrêa, Volney Oliveira, Alcione e Vilma.

Tá no samba, tá no blog

paulorodriguesPaulo Rodrigues, colecionador de títulos do carnaval amapaense. Ë um dos mais talentosos carnavalescos do Amapá. Iniciou no samba ainda criança na ala de tamborins de Maracatu da Favela. Foi carnavalesco de Piratas Estilizados, Maracatu da Favela, Piratas da Batucada, entre outras escolas. Atualmente empresta seu talento ao Império do Povo, de Santana. Paulo Rodrigues é ex-presidente da Liga das Escolas de Samba. Esse sim, sabe fazer carnaval.

Confetes e serpentinas

piticoHoje todos os confetes e serpentinas são para o amigo Nivaldo Conceição, o Pitico, que está aniversariando e, com certeza, vai ser super paparicado pela comunidade carnavalesca.

Pitico – que já foi presidente do Maracatu da Favela e hoje faz parte do Conselho – revolucionou o carnaval amapaense em 2000.

Feliz aniversário, querido!

Mora no meu coração

Helena AmorasPoeta e professora aposentada Maria Helena Amoras

Atualmente morando em Belém, ela veio passar uns dias em Macapá. E tanta gente ficou feliz ao reencontrá-la.
Maria Helena – que foi presidente da Associação dos Professores do Amapá – era muito amiga de minha mãe e foi minha colega de magistério na Escola Integrada de Macapá.
Reencontreia-a assim linda, maravilhosa e sorridente no Teatro das Bacabeiras, no lançamento da Coletânea de Poetas do Meio do Mundo. No dia seguinte, para aumentar minha alegria, recebi a visita dela em minha casa. Me contou histórias de minha mãe e relembramos os bons tempos de Escola Integrada.
Querida Maria Helena, você mora no meu coração.