Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

PT e PSB cantando

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 22/04/10 as 1:55 pm

"Veja só
Que tolice nós dois 
Brigarmos tanto assim
Se depois
Vamos nós a sorrir
Ficar de bem enfim"

PSB e PT juntinhos de novo

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 22/04/10 as 12:53 pm

Esqueçam as trairagens de 2002 no Amapá, pois PT e PSB poderão estar juntinhos, no mesmo palanque, este ano na disputa pelo governo e pelo Senado. Tudo como nos velhos tempos.
Matéria publicada hoje na Folha Online mostra que uma das exigências do PSB para retirar a candidatura de Ciro Gomes à presidência da República é o apoio do PT ao PSB no Amapá.

Eis a matéria:
PSB reúne cúpula para decidir futuro político de Ciro Gomes

A cúpula do PSB se reúne na terça-feira para decidir se terá ou não candidato próprio ao Palácio do Planalto. O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) quer sair candidato à Presidência. Mas a candidatura própria do PSB depende de alianças em outros Estados –o partido integra a base de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“A situação do Ciro vai ser discutida no dia 27. Vamos até lá ter o pronunciamento de todos os Estados para fechar a posição”, disse o vice-presidente do partido, Roberto Amaral.

O Palácio do Planalto pressiona Ciro a retirar a sua candidatura por considerar que dois nomes da base governista na disputa podem dissipar votos, valorizando a candidatura de José Serra (PSDB) à Presidência.

O PSB quer contrapartidas do PT para convencer Ciro a desistir de disputar a Presidência da República. Em meio à pressão do Palácio do Planalto para que o parlamentar apoie a candidatura de Dilma Rousseff (PT), integrantes do partido pediram o apoio petista em pelo menos quatro Estados onde têm candidatos ao governo ou ao Senado.

Os pedidos foram apresentados anteontem a um dos coordenadores da campanha de Dilma, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel. O PSB quer o apoio do PT no Distrito Federal, Espírito Santo, Piauí e Amapá.

O presidente do PSB, Eduardo Campos, se reuniu ontem com integrantes do partido em Brasília para dar início às conversas que vão definir o futuro político de Ciro. Campos disse que vai fazer consultas aos Estados para avaliar se a eventual aliança nacional com o PT não vai trazer entraves regionais.

Nas conversas estaduais, Campos deve apresentar o mapeamento da situação dos diretórios regionais que discutiu com Amaral. O levantamento indica que o PSB terá candidatos a governador no Ceará, Piauí, Amapá, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Ao Senado, são sete candidaturas do PSB e algumas em conflito com o PT, como em São Paulo e Minas Gerais.

Palavra final

Campos disse que, apesar da pressão do presidente Lula, caberá ao PSB decidir o futuro de Ciro. “Colocar candidatura ou tirar candidatura é uma tarefa da direção nacional do partido, ouvindo a sua base. Não é uma tarefa nem do presidente da República, que ao nosso ver é o coordenador do processo de sua sucessão, mas não cabe ao Lula decidir o que nós vamos fazer ou não com o Ciro”, disse.

Campos afirmou que o deputado vai cumprir a decisão do comando do PSB. “O nosso PSB continua a sonhar com a Presidência da República. Se vai ser possível? As circunstâncias políticas vão dizer.”

Um jabutizão

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 22/04/10 as 2:58 am

Andando pela cidade vi esse fusca estacionado ao lado do Teatro das Bacabeiras. Fotografei porque lembrei de uma historinha que o Alípio Junior me contou jurando que é verdade.
Bom, segundo o Alípio, numa comunidadezinha lá  nas brenhas do município de Amapá – onde nunca passava um carro – um dia o pessoal ouviu um barulho estranho e correu pra ver o que era.
Era um fusca.
E todo mundo apontava e exclamava: “ulhaaaaaa!  ulhaaaaaaaa! é  um jabutizão!
Quando o Fusca parou e o pessoal que estava dentro começou a descer, o povo se armou de pau, terçado e enxada e partiu pra cima do carro para destruí-lo.
Ora, um jabuti desse tamanhão já era muito estranho. Mas o pior de tudo é que o jabutizão comia gente e depois vomitava-as inteirinhas por dois buracos que se abriam na lateral do casco.
Tá é besta que aquele povo ia deixar esse bicho – que parecia coisa do outro mundo – ficar vivo andando por aí pra comer mais gente. Jamais!

Como um “causo” puxa outro,  lembrei também da primeira vez que um helicóptero passou num interiorizinho distante, muito isolado. O povo quando ouviu o barulho, olhou pro céu e viu aquilo, saiu em desabalada carreira pra se esconder na mata gritando: “Socooooooooorro! Socooooooooooooorro! Um gafanhotão quer pegar nós”.

Artistas do Amapa fazem turnê nacional

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 22/04/10 as 1:47 am

Por Mariléia Maciel

Os artistas Joãozinho Gomes, Enrico Di Miceli e Patrícia Bastos mostram seus talentos em turnê por seis capitais brasileiras com o show “Timbres e Temperos” que inicia na próxima segunda-feira, 26 de abril. A turnê faz parte do projeto SESC Amazônia das Artes que faz o intercâmbio cultural entre os Estados da Amazônia Legal levando teatro, exposições, dança e shows musicais para as cidades contempladas.

Reconhecidos como um dos maiores potenciais artísticos da área musical do Amapá, Joãozinho, Enrico e Patrícia mantém uma relação profissional com o SESC há alguns anos. Eles participaram e venceram em várias categorias e edições o Festival SESCantamapá. Desde então foram atrações em várias atividades da instituição inclusive no último Encontro de Coordenadores de Cultura dos Estados da Amazônia Legal, no ano passado, quando foram prestigiados pelos coordenadores  da entidade de todos os Estados da Federação e receberam convite para a turnê.

Os três artistas fizeram sucesso em 2009 no Projeto Pixinguinha, lançando os CDs “Amazônica Elegância” – Joãozinho Gomes e Enrico Di Miceli e “Eu Sou Caboca” –  Patrícia Bastos e realizando shows em municípios do Estado do Amapá. Estes trabalhos são o retrato de seus talentos e já foram mostrados em outros trabalhos individuais e em parceria com diversos músicos.

A musicalidade de Enrico Di Miceli em par com a poética de Joãozinho Gomes e o canto de Patrícia Bastos confeccionam a partir da estética da floresta amazônica, um trabalho de grande importância para a expansão das artes produzidas no Amapá e ainda desconhecidas às visões e aos paladares dos mais atentos a preciosas pluralidades.  “O show Timbres e Temperos gerou-se aos ventres da música, do canto e da poesia, e nasceu amplo como o rio Amazonas, forte e contagiante como o marabaixo e batuque. É uma ode a estética e a vida da floresta e aos ritmos da Amazônia”, fala a produtora Clícia Hoana, da Bacabeira Produções, responsável pelos shows dos artistas.

A turnê inicia no dia 26 pela capital do Maranhão, São Luiz, segue para Belém do Pará, Manaus, capital do Amazonas e Palmas em Tocantins, nos dias 21, 23 e 25 de junho,respectivamente,  a capital do Piauí recebe os artistas no dia 13 de setembro e em 13 de novembro encerra em Rio Branco no Estado do Acre. Os cantores levam uma banda formada pelos amapaenses Alan Gomes (contrabaixo), Fabinho (violão e guitarra), Valério de Lucca (percuteria) e Bibi (sax e flauta).