A arte é despejada

A Escola de Artes Cândido Portinari está sendo despejada do prédio que ocupa no bairro do Trem por falta de pagamento do aluguel.
Há dois anos o Governo do Estado não paga o aluguel. Cansado de andar de um lado para o outro para receber o que lhe é devido, o proprietário do prédio entrou na Justiça movendo uma ação de despejo.
Os professores, arrasados, estão desocupando o prédio. Nas mãos levam seus pincéis, tintas e telas. No coração levam  a tristeza pelo descaso a que foi relegada a única escola de artes plásticas do Amapá.

A Escola de Artes foi idealizada pelo saudoso R.Peixe – maior expressão das artes plásticas no Amapá. Inicialmente funcionou em salas improvisadas em estabelecimentos de ensino da rede pública. Em 1983 ganhou prédio próprio. Mas por falta de manutenção começaram a aparecer rachaduras, infiltrações, goteiras, até que foi interditada pela Defesa Civil no segundo mandato do governador Waldez Góes (PDT)

a009
Em vez de reformá-la – o que poderia ser feito sem problema nenhum no período de férias escolares – o governo Waldez Góes optou por alugar um prédio e deixar aquele se deteriorar ainda mais.
Em 2010, em sua campanha para o governo, o atual governador Camilo Capiberibe (PSB) prometeu que o prédio seria reformado. Os anos passaram e nada foi feito, a não ser uma reunião em novembro do ano passado com a  secretário de Estado da Infraestrutura,  professores da Escola de Artes Cândido Portinari e o Ministério Público.  A reunião era pra decidir se o prédio seria reformado ou se um outro, maior e mais moderno, seria construído. Nada foi decidido e não se falou mais nisso.
Dia 22 vai completar um ano que essa reunião foi feita. E nem o prédio velho foi reformado e nem um outro foi construído.

Show de Álvaro Gomes amanhã no Largo dos Inocentes

Carlos Santana aporta no Largo dos Inocentes em show de Álvaro Gomes
Cléo Farias de Araújo

Nesta sexta, 18/10, no Largo dos Inocentes, a Confraria Tucuju leva ao palco o músico Álvaro de Jesus Gomes, GEDC1624.JPGcom refinado show em homenagem ao guitarrista mexicano Carlos Santana.

Fã de Almir Chediak, Beatles e Tom Jobim, Álvaro Gomes é uma pérola amapaense e estudioso da ciência musical. Militar aposentado, empresta à música, seu grandioso talento.

Fundador das bandas “Os Setentrionais” e “Banda Placa”, também desfilou sua guitarra nas bandas “Os Inimitáveis” (da Guarda Territorial) e “Milionários R-5” e, atualmente, em “Os Cometas” e “Banda Quatro”.

oh yes.jpgÁlvaro Gomes, ao lado de seu irmão Carlos Augusto (Carlitão), possui um memorável trabalho, registrando os movimentos culturais de Mazagão e Maruanum, inclusive, escrevendo partituras dos ritmos executados nas festividades do interior amapaense. Incansável no labor cultural, está escrevendo um livro, juntamente com seu irmão, sobre aspectos culturais do Amapá que, há décadas, pesquisa.

Ao lado de convidados ilustres, como as bandas “Yes Banana” e “Banda Quatro”, entre primorosos e velozes solos em sua Jackson de 24 trastes, executará canções de sucesso, tais como: “Corazon espinado”, “Spirit” “Guajira” e “Samba Pati”.  

É um show único, que vale a pena conferir.

Hoje tem Concerto no Largo dos Inocentes

O projeto Concertos de Verão especial do Círio de Nazaré apresenta hoje, 11, três atrações que revelam o talento de jovens e promissores artistas amapaenses. Os músicos Alan Gomes, Fabinho e a cantora Emília Monteiro fazem o show que homenageia a manifestação religiosa católica mais popular do Amapá, que é uma demonstração de fé e devoção. Serão duas horas e meia de música instrumental, canto e dança e ainda o tributo à pioneira macapaense Maria dos Anjos.
Assim como em anos anteriores, o projeto iniciou em agosto e segue até novembro, quando começa o inverno na Amazônia. Foi pensando pela Confraria Tucuju inicialmente para abrir espaço para a música instrumental e dança, e formar plateia, mas este ano foi acrescentada a participação de um cantor ou cantora, que interpreta junto com os instrumentistas algumas canções, e a homenagem a um pioneiro de Macapá. “Foram adaptações que agradaram o público e chamou mais a atenção para o projeto”, diz a presidente da Confraria, Telma Duarte.
Os instrumentistas deste Concerto têm o trabalho reconhecido pela classe artística e público, são referência e por isso, muito disputados no mercado. Alan Gomes é músico, cantor, compositor e arranjador, integrou bandas famosas em Macapá e participou de shows de artistas da MPB. De igual prestígio, o guitarrista e violonista Fabinho divide o palco com Alan e juntos, apresentam um repertório diverso com temas populares e eruditos.

A cantora amapaense que está despontando com o CD recém-lançado “Cheia de Graça”, Emília Monteiro, canta acompanhada da dupla e mostra seu trabalho que está recebendo elogios de críticos renomados e artistas do porte de Zeca Baleiro. Apaixonada pela cultura e sons do Amapá, Emília está mostrando o marabaixo e batuque para o Brasil a partir de Brasília, onde reside. Para a noite ser completa a Confraria faz uma homenagem à pioneira Maria dos Anjos, nascida no Largo dos Inocentes e dona de uma história de valorização da cultura, fé e solidariedade.

(Ascom/Confraria Tucuju)

Obra de arte

nina2aEsculturas recobertas com manganês da inesquecível, saudosa e reconhecida internacionalmente artista plástica e professora amapaense Nina Nakanishi