Um papai noel de R$ 1,5 milhão

Dezembro de 2015. Férias escolares. Antevéspera de Natal, dia 23, a Secretaria de Estado da Educação assina um contrato com a empresa  Cooperativa Agroindustrial de Produção de Alimentos do Amapá (Agrocop) para fornecimento de gêneros alimentícios para a merenda escolar. Em tempo recorde, na antevéspera do Ano Novo, dia 29, efetuou o pagamento de R$ 1,5 milhão. Os produtos não foram entregues, mas os diretores das escolas assinaram documento atestando o recebimento.
Os envolvidos nessa ladroagem tiveram ceia farta no Natal e no Ano Novo. Os estudantes das escolas públicas não. Acabaram-se as férias e a merenda não chega nas escolas. Diariamente as aulas sãos suspensas, os alunos voltam mais cedo para casa exatamente porque não tem merenda.

A Operação “Senhores da Fome” deflagrada hoje pela Polícia Federal terá desdobramentos, pois os depoimentos colhidos esta manhã apontam que a patifaria não ocorreu apenas em 52 escolas, mas em tantas outras.

Senhores da Fome – Os presos

Dos quatro mandados de prisão temporária, a Polícia Federal cumpriu até agora três.
Os presos são Edilson da Rocha, Elivaldo Santos e Edilson Lima.
Elivaldo Santos é sócio em três empresas: uma de pintura de prédios, uma de venda de peças e acessórios para moto e outra e de um comércio atacadista de produtos de higiene.

 

 

Gente que não se emenda

O governo do PDT vai passar para a história como o “queridinho sqn” da Polícia Federal.
Em 2010 quase toda a cúpula do governo foi presa pela PF na operação “Mãos Limpas”. Naquele ano a Operação – que teve vários desdobramentos – começou exatamente investigando um esquema de desvio de recursos da União que eram repassados à Secretaria de Educação do Estado do Amapá, provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB, e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério – FUNDEF.

PF deflagra operação “Senhores da Fome” em Macapá

A Polícia Federal, com a participação do Ministério Público Federal, Ministério Público do Estado do Amapá, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União, deflagrou na manhã desta terça-feira (31) a Operação Senhores da Fome, para investigar o desvio de recursos destinados a merenda escolar do Amapá.

Estão sendo cumpridos quatro mandados de prisão temporária, sete mandados de condução coercitiva e 18 mandados de busca e apreensão em Macapá.
Cerca de 120 policiais federais participam da ação.

A operação investiga a atuação de empresários, diretores de escolas e servidores da Secretaria de Educação do Estado do Amapá no desvio de aproximadamente R$ 2 milhões, destinados a merenda escolar de vários municípios do Estado.
Com o desvio, pelo menos 52 escolas da capital amapaense ficaram sem os alimentos da agricultura familiar.

De acordo com as investigações, no início de 2016, vários diretores assinaram o termo de recebimento dos alimentos sem, entretanto, recebê-los. Algumas dessas entregas teriam sido feitas, inclusive, no período de férias escolares.

Os investigados irão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de peculato, associação criminosa e falsidade ideológica.

(Ascom/PF-AP)

Executivo, Legislativo e Judiciário traçam estratégias para segurança pública no Amapá

Do portal do Governo do Amapá

O fortalecimento da segurança pública no Amapá ganha o apoio dos Poderes Legislativo e Judiciário que se unem ao Executivo no planejamento de estratégias unificadas e ações conjuntas para o setor. O vice-governador Papaléo Paes, representantes do Legislativo e Judiciário, e a cúpula da segurança do Amapá, estiveram reunidos na tarde desta segunda-feira, 30, no Ministério Público Estadual (MPE) traçando os primeiros passos do trabalho conjunto.

A primeira medida foi a unificação dos trabalhos de segurança com o compartilhamento das informações do setor, que ocorrerá por meio da Criação do Comitê Executivo que será integrado por representantes do Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP), Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Polícia Militar do Amapá (PM-AP), Polícia Federal (PF), Polícia Civil e Guarda Municipal de Macapá (GMM). O Comitê também terá o apoio institucional do Exército Brasileiro e da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN)

Continue lendo

A violência no Amapá

O Fantástico mostrou domingo, com base nos dados do anuário da segurança, que a Polícia Militar do Amapá é a que mais mata no Brasil.
O blog Repiquete, com base nos dados do Mapa da violência, mostrou que Macapá teve 64,7% de aumento de homicídios dolosos.

Aí eu lembro de um post que fiz em fevereiro de 2014 quando os números da Secretaria Nacional de Segurança Pública mostraram o Amapá liderando o ranking da violência no país. O post é tão atual que recomendo que leiam ou releiam clicando aqui