Gosto do mês de julho

Gosto do mês de julho. É mês de sol, de alegria, de festas.
Gosto principalmente porque é mês de nascimento de vários familiares tão amados.
As festas começam dia 5 com o aniversário dos sobrinhos Alcione Filho e Raphael Costa e se prolongam no decorrer do mês. No dia 26 era aniversário do meu sogro, Moacyr Monteiro Costa, que foi um segundo pai para mim. Tenho uma saudade danada dele.

Ontem, 30, teve festa dupla: aqui e em Manaus. Aqui comemorando meus 38 anos de casada; em Manaus o aniversário do meu querido sobrinho Alcy Neto, filho do Zoth.

Além dos aniversários, temos outros motivos pra sorrir e ser feliz. Férias! Pois nas férias temos por aqui a presença dos lindos sobrinhos Gabriel e Ricardo, que estudam em Sampa.

Hoje, 31, minha amada e inesquecível mãe professora Delzuite Cavalcante se ainda estivesse nesse plano estaria comemorando 90 anos de idade. Era dia de muita animação na nossa casa, visita de tantos amigos professores, vizinhos, ex-alunos… Era tão bom!

Amanhã já é agosto. Mês bom também. Tem o aniversário do meu irmão Alcione Cavalcante. Ele nasceu numa sexta-feira, 13 de agosto, às 13 horas. Azar? Nenhum! Ele sempre teve sorte.

Sabe de uma coisa? Na verdade eu gosto de todos os meses do ano, de todas as semanas, de todos os dias, pois Deus sempre me deu motivos para sorrir de domingo a domingo, de 1 de janeiro a 31 de dezembro.

MP busca parceiros para apoiar casa de acolhimento

MP-AP mobiliza parceiros para apoiar as atividades da Casa de Acolhimento Lar Betânia, em Santana
O procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Márcio Alves, visitou nesta segunda-feira (31), o Lar Betânia, em Santana. Acompanharam-no os procuradores de Justiça Nicolau Crispino e Judith Teles; e os promotores de Justiça da Infância e Juventude de Santana, José Barreto e Miguel Angel Ferreira, ambos responsáveis pelo apoio do MP à instituição.
Eles foram conhecer a instituição e iniciar o trabalho de mobilização para apoio ao Lar Betânia. A ideia é buscar parceiros na iniciativa privada e pública para ajudar na promoção de cursos profissionalizantes gratuitos a adolescentes em vulnerabilidade social ou em cumprimento de medidas socioeducativas.

Continue lendo

Via Láctea – Olavo Bilac

Via Láctea
(Olavo Bilac)

“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto…

E conversamos toda a noite, enquanto
A Via Láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: “Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?”

E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

O belo trabalho de Isa Colli

A jornalista e escritora Isa Colli, está rodando o Brasil para divulgar seus livros “Vivene e Florine em O Pirulito das Abelhas” e “A Fazendinha”. Na  última quarta-feira (26/7), a autora participou de um café literário no auditório da Editora Imeph, em Fortaleza, no Ceará. Foi a primeira visita de Isa à sua nova editora. Foi um bate-papo para 80 convidados, entre professores e diretores de escolas públicas e particulares, professores universitários, escritores, ilustradores e idealizadores do ‘Projeto Nas Ondas da Leitura’. Foi tarde literária regada a muita poesia, debate e autógrafos, além de um delicioso café. A autora falou sobre construção de texto educativo, as diferenças entre a educação brasileira e europeia, entre outros temas”. Continue lendo

Os ribeirinhos no Macapá Verão

Os veranistas ribeirinhos não mediram esforços para curtir o último dia do verão, no balneário de Fazendinha, neste domingo, 30. De canoa, rabeta, catraia ou lancha, dezenas de famílias vindas de regiões ribeirinhas de Macapá, Santana e até de localidades paraenses, como Afuá, na Ilha do Marajó, prestigiaram as atrações do Macapá Verão 2017.

Da própria embarcação, a dona de casa Adriana Duarte acompanhou a programação junto com a família e amigos. “Viemos da Ilha de Santana. Fui convidada por meu amigo. Este ano, esse foi o primeiro domingo, mas todos os anos e durante o ano todo estamos aqui para tomar banho. O Macapá Verão é a melhor opção de diversão para a gente”.

(Texto e fotos: Prefeitura de Macapá)

O diamante do mendigo

O diamante do mendigo
Dom Pedro José Conti – Bispo de Macapá

Certa vez, um mendigo chegou a uma pequena cidade. Estava com fome e não sabia como e onde passaria a noite. Mostrando segurança, bateu na porta da casa do usurário mais famoso da região.

– Não venho pedir esmola – falou decidido – o meu assunto é negócio, um grande negócio.

Apesar da roupa toda esfarrapada do pobre, o usurário, sempre interesseiro, o convidou a entrar. O mendigo fechou, cautelosamente, a porta atrás de si e, com ar misterioso, disse em voz baixa ao ouvido do rico: Continue lendo