Chá da tarde

Lucidez
José Queiroz Pastana

Quando olhei para o céu
Vi uma estrela a brilhar.
A lua ficou a me curtir,
E no céu da boca o paladar.

O mar, sereno em ondas,
Debatia-se na orla:
Quebra-mar, São José,
Do Marabaixo ao Laguinho.

O teu olhar luz candeia,
O espelho dos olhos vagueia.
Nas curvas do corpo bronze
Deposito meu amor carente.

Teu coração vida, rubi,
Até a flor de mel colibri.
Navegar na lucidez do amor
Para não perder a razão de viver.

(Extraído do livro “Nos Céus da Vida”- Macapá-2003)